17.01.04- A quarta tríade angelical

Prolegômenos
13 de julho de 2018 Pamam

A quarta tríade dos anjos negros de Jeová não é reconhecida nem pelos bíblicos e nem pelos estudiosos dos assuntos angélicos, pois que eles não possuem a mínima ideia a respeito das suas funções, mesmo considerando equivocadamente que sejam representantes do bem, sem jamais atinarem para o fato de que todos eles são terríveis obsessores, embora os seus três coros sejam reconhecidos por todos.

Essa quarta tríade é a mais numerosa de todas as tríades, pois que esses espíritos obsessores atuam diretamente em todos os setores da vida e em todos os recantos do planeta, tendo sido muitos deles grandes eruditos quando em vida, formados nos mais diversos ramos das ciências, por isso são bastante especializados nos assuntos que estudaram, e com a visão astral que possuem são capazes de realizações voltadas para o mal que até mesmo os seres humanos mais inteligentes podem ser capazes de duvidar dessas suas realizações, mesmo com elas sendo mostradas tecnicamente e através de imagens, como elas deverão ser mostradas no decorrer desta explanação de A Filosofia da Administração. As imagens postas logo abaixo mostram a quarta tríade angelical e os espíritos obsessores que a formam.

As imagens postas logo acima foram retiradas do livro A Tríade, escrito por Carlos Andrade, Cláudio Brites, Kizzy Ysatis e Octavio Cariello. Em que eles indagam: qual o segredo que une o anjo, o templário e o vampiro? Sabe-se que os anjos são espíritos obsessores que pertencem às falanges das hostes de Jeová, o deus bíblico, podendo pertencer também às hostes de Alá, o deus alcorânico, que são inimigos ferrenhos um do outro, pois que ambos têm a pretensão descabida de serem o único deus da nossa humanidade. A Ordem dos Pobres Cavaleiros de Cristo e do Templo de Salomão, conhecida como Cavaleiros Templários, Ordem do Templo, ou, simplesmente, como Templários, foi uma ordem militar de cavalaria, cuja organização existiu por cerca de dois séculos na Idade Média, tendo sido fundada no rescaldo da Primeira Cruzada de 1096, com o propósito original de proteger os cristãos que voltaram a fazer a peregrinação a Jerusalém, após a sua conquista, sendo todos os seus integrantes instrumentos dóceis dos anjos negros de Jeová. E os vampiros são seres sobrenaturais, portanto, inexistentes, que foram inspirados nos espíritos obsessores, que adoram sangue, em face dele conter em si a energia.

Essa obra intitulada de A Tríade, trata-se de um romance que se passa em várias épocas, em que um personagem tido como sendo misterioso, posto na Roma do século XVII, narra para o mestre pintor Nicolas Poussin, a saga da tríade, que começa na grande guerra travada no céu, entre Miguel e Lúcifer, com os autores ignorando que depois este último se tornou Alá, o deus alcorânico, dando origem à peça-chave de que logo se tornará um dos maiores quebra-cabeças que a humanidade já conheceu. A narrativa segue no século XIV, quando os templários estão sendo caçados como hereges pelo rei Felipe, o Belo. Em meio a essa caótica aventura, um vampiro despertará na Itália disposto a atacar os membros da poderosa Igreja Católica. Porém, quando a tríade se reunir, o eixo será liberado, e o destino do mundo poderá estar nas mãos do anjo, do templário, do vampiro, ou então daquele que o encontrar primeiro.

ANJOS ESPECIAIS

Os anjos especiais são justamente aqueles que foram os grandes especialistas nos mais diversos setores das ciências da natureza, tais como na Física, na Química, na Físico-química, na Biologia, na Bioquímica, na Medicina, e em outras áreas mais específicas que tratam de toda a matéria, em sua ilusão. Esses espíritos quando encarnados eram desprovidos de moral e de ética, portanto, de educação, e nesse estado deplorável, quando desencarnaram, foram engrossar as falanges dos espíritos obsessores que atormentam a vida dos encarnados.

Esses espíritos obsessores são altamente periculosos, pois quando encarnados eles tratavam dos estudos das suas especialidades, acreditando que existia a matéria. Porém, ao desencarnarem, as suas visões astrais acerca do mundo passam a ser completamente diferentes, eles passam a saber, por exemplo, que os átomos, as moléculas, as organelas, as células, e tudo o mais são seres, tendo, inclusive, uma visão real acerca dos micro-organismos, que também são seres.

Através dos seus pensamentos, eles conseguem influir diretamente nos micro-organismos, modificando-os, para causar os inúmeros tipos de doenças. São eles quem intuem os cientistas para a fabricação de armas químicas e biológicas, assim como também para os mais diversos tipos de armamentos bélicos. Eles também intuem os cientistas da NASA e influem nas suas observações planetárias, enganando-os, quando então esses cientistas passam a pensar que estão observando o Universo, quando, na realidade, essas suas observações são todas ilusórias, inclusive as sondas que eles julgam haver mandado para o espaço, que ficam apenas girando ao redor da atmosfera terrena, pois que não é permitido que os seres humanos retirem os seres infra-humanos da Terra e os mandem para o espaço, pois que eles vieram dos seus mundos de origem para interagir diretamente como os demais seres infra-humanos.

Estes Prolegômenos servem apenas para que os leitores venham a apreender em seus corpos mentais os conhecimentos e as experiências mais básicos, que são fundamentais para que possam compreender a contento os assuntos técnicos-científicos que serão expostos na obra relativa ao Sistema, em seus pormenores, no site pamam.com.br. No entanto, eu vou aqui proceder a uma brevíssima explicação acerca dos seres atômicos, para que então todos possam comprovar que o desenvolvimento da bomba atômica não diz respeito à tecnologia humana, pois que toda essa tecnologia foi repassada aos estudiosos do assunto pelos espíritos obsessores, mais propriamente pelos chamados anjos especiais, por isso essa tecnologia é toda voltada para o mal, como assim não poderia ser diferente, pois que o seu objetivo é a extinção da vida.

Embora pertençam a mundos diferentes, todos os seres interagem entre si, pois que existe uma interação universal entre todos os seres em favor da evolução, com vistas a acelerar o compasso do seu ritmo, em conformidade com o compasso do ritmo universal estabelecido pela Inteligência Universal, justamente por isso existem os mundos-escolas, para que todos os seres sejam deslocados dos seus mundos próprios para esses mundos-escolas, a fim de que possa ocorrer essa interação por completo. Como os seres infra-humanos não possuem o livre arbítrio, eles são deslocados dos seus mundos de origem para os seus respectivos mundos-escolas, através dos pensamentos espirituais, pois que os espíritos são os executores da vontade de Deus. Já os espíritos encarnam nos seus respectivos mundos-escolas, não por vontade própria, embora possuam o livre arbítrio, mas em atendimento a um plano elaborado e estabelecido no Astral Superior para alcançar a uma determinada finalidade, mas são eles que traçam as suas próprias trajetórias evolutivas, elaborando os seus próprios planos de encarnação.

O planeta Terra é um mundo originário dos seres hidrogênios, e para ele são deslocados os demais seres atômicos, para que assim possam todos interagir entre si. Todos os seres possuem os seus corpos fluídicos, que podem ser considerados como sendo as suas almas, onde neles se encontram os conhecimentos e as experiências que foram adquiridos no decorrer do processo da evolução, além de todos os atributos. Ressaltando-se aqui que os órgãos mentais dos seres, neste caso o criptoscópio e o intelecto, não fazem parte dos seus corpos fluídicos, pois que eles são partes integrantes dos próprios seres, daí a razão pela qual todos os seres fazem parte da Inteligência Universal.

Os corpos fluídicos de todos os seres são formados pelas parcelas das propriedades da Força e da Energia que foram adquiridas ao longo do processo da evolução. A propriedade da Força contém o magnetismo. A propriedade da Energia contém a eletricidade. E a combinação de ambas as propriedades contém o eletromagnetismo. Assim, o magnetismo, a eletricidade e o eletromagnetismo estão contidos nos corpos fluídicos de todos os seres.

A aura é o campo que circunda os corpos fluídicos de todos os seres, inclusive dos seres atômicos, que trocam entre si os conhecimentos, as experiências e os atributos que foram adquiridos no decorrer do processo da evolução. Essas trocas ocorrem por intermédio das suas auras, que obviamente contêm também o magnetismo, a eletricidade e o eletromagnetismo.

Dos corpos fluídicos dos seres atômicos fornecedores saltam para as suas auras os conhecimentos, as experiências e os atributos que são destinados aos fornecimentos para os demais seres atômicos, cujos conjuntos formam os prótons, de onde seguem para a formação dos elétrons, que são apenas subconjuntos destinados a esses fornecimentos, os quais são recebidos pelos demais seres atômicos que se caracterizam como sendo recebedores, pois que os elétrons são compatíveis com as suas necessidades.

Os seres atômicos recebedores passam então a receber os elétrons dos seres atômicos fornecedores, por intermédio das suas auras. Esses elétrons recebidos são subconjuntos de conhecimentos, de experiências e de atributos, os quais são reunidos e passam a formam um único conjunto, o qual é denominado de nêutrons, de onde são enviados para os corpos fluídicos desses seres atômicos recebedores.

Todos os seres atômicos são fornecedores e recebedores de conhecimentos, de experiências e de atributos, pois que esse é o objetivo maior da interação universal, acelerar o ritmo da evolução universal.

As auras dos seres atômicos, onde se encontram os prótons, os nêutrons e os elétrons, além das demais partículas subatômicas que vão formá-los, seja partindo dos corpos fluídicos para os prótons, e destes para os elétrons, seja partindo dos elétrons para os nêutrons, e destes para os corpos fluídicos, são justamente aquilo que os cientistas denominam de núcleos. Os núcleos dos seres atômicos, portanto, são as suas auras; e nas suas auras os elementos destinados às trocas entre si, que os cientistas denominam de massa. Ora, todas as coisas da natureza são formadas essencialmente de seres atômicos, mas como os cientistas ignoram completamente a natureza dos seres atômicos, passam a tratar a massa de um modo imaginativo.

Para a Física, a massa é um conceito para explicar os vários fenômenos observados na natureza, sendo comum no cotidiano da vida a associação entre os resultados desses fenômenos e o conceito de massa, sendo esta frequentemente associada aos pesos de todas as coisas. No entanto, na maioria das vezes essa associação não se mostra correta, ou, quando correta, não se mostra completamente elucidativa, razão pela qual vem o paradigma científico moderno afirmar que o peso de um objeto resulta da interação gravitacional entre a sua massa e o campo gravitacional, em que a massa é parte integrante da explicação para o peso, com ela sozinha não constituindo a explicação completa. Não cabe aqui maiores explicações a respeito do assunto, pois que a gravidade deverá ser tratada em seus pormenores na obra relativa ao Sistema, no site pamam.com.br.

Eu quero aqui apenas demonstrar que a massa nada tem a ver com a energia, mas a Física considera a existência da equivalência entre massa e energia, estabelecendo o conceito de que qualquer massa possui uma energia associada e vice-versa.

Eu sei perfeitamente que todos consideram Einstein como se ele fosse o suprassumo da inteligência humana, mas acontece que nem ele e nem aqueles que assim o consideram possuem a mínima noção do que seja a inteligência, principalmente porque não conseguem atentar para o fato de que ela se manifesta a partir dos seres atômicos, em seus rudimentos, até ao estágio da espiritualidade, quando então a consciência deve se fazer valer, coordenando o criptoscópio e o intelecto. Mas esse físico nem sequer cientista ele era, mas sim um religioso, não confundir com credulário, pois que não era afeito à realização de experiências, sendo, portanto, um captador de conhecimentos, ou seja, um teórico, mais propriamente um teórico que lidava com teorias “a priori”.

Na relatividade especial, essa relação entre massa e energia é expressada pela fórmula de equivalência E = mc2, onde E = energia, m = massa, e c = a velocidade da luz no vácuo. Nessa fórmula proposta por Einstein, o valor da velocidade na luz no vácuo realiza a conversão de quilogramas para joules, pois que as grandezas de massa e energia são diferentes, o que comprova que massa nada tem a ver com energia.

Os espíritos obsessores chamados de anjos especiais, já vinham antes tentando intuir essa fórmula em outros estudiosos do assunto, pois sabiam que através dessa fórmula eles poderiam criar a bomba atômica, por isso várias fórmulas similares apareceram antes dessa teoria “a priori” de Einstein, mas foi através dele que esses espíritos obsessores conseguiram propor que a equivalência entre massa e energia seria um princípio geral que como tal também seria uma consequência das simetrias do espaço e do tempo.

Em 20 de novembro de 2008, uma equipe internacional de físicos do Centro de Física Teórica de Marselha, por intermédio do supercomputador Blue Gene, julgou haver confirmado pela primeira vez na prática, que a massa do próton provém da energia liberada por quarks e glúons, considerando assim haver provado que a massa provém da energia, conforme havia sido teorizado por Einstein há mais de cem anos, ou seja, que E = mc2.

Caso essa equipe internacional de físicos soubesse que não estão lidando com matéria, que não existe, mas sim com seres, mais especificamente com seres atômicos, poderiam constatar que os seus corpos fluídicos contêm magnetismo, eletricidade e eletromagnetismo, assim como também as suas auras.

No caso em questão, que se trata de seres atômicos que estão fornecendo os seus acervos para outros seres atômicos, já que se trata do próton, quando eles fornecem conhecimentos e atributos individuais, que dizem respeito à propriedade da Força, estes acervos partem dos seus corpos fluídicos para as suas auras através do magnetismo; quando eles fornecem experiências e atributos relacionais, que dizem respeito à propriedade da Energia, estes acervos partem dos seus corpos fluídicos para as suas auras através da eletricidade, ou energia, como se queira; e quando eles transferem os seus saberes através de ambas as propriedades, estes acervos partem dos seus corpos fluídicos para as suas auras através do eletromagnetismo. Sabendo-se que obviamente as suas auras contêm também o magnetismo, a eletricidade e o eletromagnetismo, por ser o campo que circunda o corpo fluídico.

Esses acervos que são destinados ao fornecimento passam a ser conduzidos pelo magnetismo, pela eletricidade e pelo eletromagnetismo através das suas auras, para que assim possam formar os prótons, de onde seguem do mesmo modo para formar os elétrons. A esses acervos que vão formar os prótons e os elétrons os cientistas denominam de quarks, daí a razão pela qual eles passam a associar as massas dos prótons como se fossem provenientes das energias liberadas por quarks e glúons.

De qualquer maneira, tudo isso poderia ser utilizado para a prática do bem, mas foi essencialmente utilizado para a prática do mal, pois que esse conhecimento foi fornecido pelos espíritos obsessores que formam o coro dos anjos especiais. Assim, tendo conseguido a esse seu intento malévolo, os espíritos obsessores passaram a atuar no sentido da fabricação da bomba atômica, pois que esta era a finalidade dos anjos especiais. E assim surgiu o projeto Manhattan, cujas experiências resultaram na fabricação das primeiras bombas atômicas.

Neste tópico eu procuro apenas comprovar a existência desses espíritos obsessores que formam o coro de anjos especiais, não cabendo aqui maiores explicações técnicas a respeito da fabricação da bomba atômica. Mas para que não venha a prosperar qualquer dúvida em relação a esses anjos especiais, as diversas imagens abaixo mostram claramente as suas atuações obsessivas no famoso projeto Manhattan.

Agora vejam só o estado de calamidade em que se encontra a nossa humanidade, com todos os seres humanos vivendo em um verdadeiro caos. Todas as guerras que ocorrem no mundo são causadas pelo astral inferior, inclusive a Segunda Grande Guerra, onde morreram milhões e milhões de pessoas. Os espíritos obsessores fizeram das autoridades políticas norte-americanas os seus dóceis instrumentos, assim como também as autoridades militares e os seus cientistas, que estando mansos feitos cordeirinhos desenvolveram a fabricação da bomba atômica, gastando uma verdadeira fábula em dinheiro, ao invés de empregar esses recursos em prol do seu povo, pois que a guerra já estava praticamente ganha, não se fazendo mais necessária a utilização desse equipamento bélico genocida.

Não sabem esses seres humanos estupidamente ignorantes que o efeito devastador da bomba atômica não é oriundo da bomba em si, mas das ações dos espíritos obsessores, sendo a bomba apenas um instrumento para as suas ações maléficas, pois, como dito anteriormente, a massa nada tem a ver com a energia. Assim como os espíritos obsessores agem através da bomba atômica, eles também agem causando tempestades, furacões, tufões, ciclones tropicais, tsunamis, vulcões, incêndios e tudo o mais do gênero, que os cientistas ignorantes da vida fora da matéria consideram ser por causas naturais, como se a natureza conspirasse contra a vida dos seres humanos e outros.

A estupidez de toda essa ignorância atingiu o seu ápice, quando a vaidade, a soberbia, a arrogância, a egolatria, a mania de grandeza, e tudo o mais do gênero, que reinam soberanas no espírito norte-americano, cuja nação se considera a maior potência da Terra, materialmente falando, em função dos seus poderios bélico e econômico, quando, na realidade, a maior potência da Terra é o Brasil, espiritualmente falando, como demonstrarei clara, racional e logicamente até ao final das minhas obras, pois que será da nação brasileira que deverá raiar a luz espiritual para todo o orbe terreno; quando essas mesmas autoridades resolveram homenagear com o prêmio “E” da marinha e do exército a esses instrumentos do astral inferior, cuja homenagem se torna verdadeiramente ridícula aos olhos dos verdadeiros espiritualistas, que sendo esclarecidos jamais se prestariam a uma homenagem de tal natureza, por ser ignóbil, sórdida, vilã, totalmente contrária aos princípios espiritualistas, pois que é preferível mil vezes ficar no anonimato do que servir de palhaço para o astral inferior, uma vez que todos ignoram que, em relação às homenagens, é preferível não tê-las e merecê-las, do que tê-las e não merecê-las.

Os espíritos obsessores são todos gozadores, pois sabem que os seres humanos ignoram completamente as suas ações no astral inferior, além disso eles são cientes de que praticamente toda a nossa humanidade lhes obedece sistematicamente, sem que tenham a consciência e a força de vontade devidas para repelir as suas investidas. Para aqueles que duvidam desta realidade, basta apenas observar as imagens postas abaixo que reproduzem o ambiente fluídico dessa homenagem norte-americana.

ANJO DA GUARDA

Esse coro de anjos negros é descrito corretamente pelos estudiosos da Teologia, que vem confirmar que dentre os anjos da tradição dita cristã está o tipo do anjo da guarda, que também são chamados de fravashi pelos seguidores de Zoroastro, e a este coro de anjos, como eles mesmo dizem, é confiada individualmente cada pessoa ao nascer, mas neste ponto eles se equivocam completamente, quando vêm afirmar que esses anjos protegem as pessoas do mal até onde a ordem divina o permita, quando, muito pelo contrário, esses anjos negros são os causadores de todos os males que incidem individualmente sobre as pessoas, tais como a loucura, o enfraquecimento do corpo e da alma, a prática das ações indignas, notadamente as mais criminosas, os conflitos, os desentendimentos, as confusões, as intrigas, as brigas entre as pessoas, a insuflação da vaidade, da soberbia, do egoísmo, da avareza, etc., de quedas fatais, de acidentes automobilísticos, aéreos e ferroviários, etc., e tudo o mais que vem assolando a vida dos seres humanos desde a antiguidade, com tudo isso procurado ser elevado ao máxima da eficiência no âmbito da maldade.

Podemos encontrar um exemplo típico de anjo da guarda na Bíblia, que acompanhava e obsedava a Jacó, que era um médium vidente e ouvinte, e que também se desdobrava para ter as suas visões espirituais, de acordo com Gênesis 32:24 a 30, que diz assim:

Finalmente, Jacó ficou sozinho. Um homem começou então a engalfinhar-se com ele até subir a alva. Quando viu que não tinha prevalecido contra ele, então lhe tocou na concavidade da articulação da coxa; e a concavidade da articulação da coxa de Jacó deslocou-se enquanto se engalfinhava com ele. Depois disse: ‘Deixa-me ir, pois já subiu a alva’. A isso ele disse: ‘Não te deixo ir, a menos que primeiro me abençoes’. Disse-lhe, pois: ‘Qual é teu nome’? A que ele disse: ‘Jacó’. Disse então: ‘Não serás mais chamado pelo nome de Jacó, mas, sim, Israel, pois contendeste com Deus e com homens, de modo que por fim prevaleceste’. Jacó, por sua vez, indagou e disse: ‘Declara-me o ter nome, por favor’. No entanto, ele disse: ‘Por que indagas o meu nome’? Abençoou-o então ali. Jacó chamou por isso o lugar pelo nome de Peniel, porque, segundo ele: ‘Tenho visto a Deus face a face e ainda assim foi livrada a minha alma’”.

Vamos então às explicações dessas passagens bíblicas para aqueles que ainda não são muito versados no âmbito da espiritualidade, mas que realmente querem aprender.

Quando se diz que Jacó ficou sozinho, ele não ficou sozinho na realidade, mas sim desdobrado, daí a razão pela qual o seu anjo da guarda, devidamente acompanhado por outros obsessores, haverem simulado a esse engalfinhamento, por isso a articulação da coxa de Jacó não haver se deslocado na realidade, sendo isto apenas uma imagem fluídica de simulação. O restante é baboseira por cima de baboseira obsessora, não tendo Jacó visto a face de Jeová, mas sim uma imagem fluídica formada pelos espíritos obsessores integrantes das suas falanges.

Mas não vá pensar o querido leitor que a distribuição desses espíritos obsessores em relação aos seres humanos venha a ser realizada aleatoriamente, de modo algum. Os espíritos obsessores, principalmente os mais evoluídos, que são os mais periculosos, estando nestes casos os chamados simplesmente de anjos, sabem ler nas auras dos encarnados as suas fraquezas, as suas tendências que são voltadas para o mau, deste modo eles passam a indicar os espíritos obsessores que possuem uma maior afinidade e uma maior atração pelos espíritos que se encontram encarnados, para que assim venham a ser facilitadas as suas ações obsessivas.

Aqueles que se dispuserem a ler atentamente a obra intitulada de A Vida Fora da Matéria, que constitui uma das obras básicas editadas pela doutrina do Racionalismo Cristão, quando ela trata do astral inferior, passa a se referir apenas a este tipo de espíritos obsessores que são chamados de anjos da guarda, olvidando dos demais tipos de espíritos obsessores. Isto se explica em função do fato da verdade se ater apenas a demonstrar a existência do astral inferior, cabendo, pois, à sabedoria lidar com todos os tipos de espíritos obsessores, que tendo a verdade como sendo a sua legítima fonte, pode alcançar a razão, por conseguinte, explanar com a devida fidedignidade todas as ações malévolas provenientes do astral inferior. Quando no capítulo que diz respeito ao astral inferior, deverão ser abordadas as explicações da doutrina racionalista cristã a respeito do astral inferior.

A pintura elaborada por Bernhard Plockhorst, posta logo abaixo, retrata um anjo da guarda que se encontra por trás de duas crianças situadas à beira de um abismo, dando a falsa impressão de que ele se encontra amparando a ambas as crianças. Observando o quadro com um pouco mais de atenção, pode-se constatar claramente que as duas mãos do anjo da guarda se encontram espalmadas para os lados, sendo esta justamente a posição das mãos de quem pretende empurrar a algo ou a alguém. Além do mais, em sendo um anjo da guarda, caso não tivesse a pretensão malévola de empurrar as duas crianças, deveria ele ter se situado à frente delas, e não por trás, do modo traiçoeiro. E para que não venha a prosperar a mínima dúvida em relação ao quadro, esse anjo negro é formado por vários espíritos obsessores, enquanto outros formam o ambiente fluídico para o desfecho fatal, como mostra a figura da direita.

É notável a sensibilidade artística dos pintores, que conseguem reproduzir em suas telas fabulosas todo o ambiente fluídico daquilo que eles possuem em suas mentes, pois quando eles são inspirados para produzir nas telas aquilo que lhes vêm nas mentes, todo o ambiente fluídico daquilo que eles vão retratar é também posto em suas telas. O quadro posto logo abaixo é um exemplo típico da extrema arte da pintura e da sensibilidade artística.

ANJOS DO SENHOR

Esse coro angélico denominado de anjos do senhor é formado por espíritos obsessores que andam sempre em falanges, praticando todos os tipos de males, tais como o espargimento de fluidos pestíferos sobre os alimentos, causando acidentes de todos os tipos, tais como os acidentes aéreo, ferroviário, automobilístico, atropelamentos, e outros tipos de males do gênero. São eles os grandes responsáveis por causar as tempestades, os tufões, os furacões, os ciclones tropicais, os tsunamis, sismos, os vulcões, os incêndios florestais e em prédios, pandemias, erosões, e outros desastres, que os cientistas julgam sejam naturais. Eles também habitam em certos locais do planeta, formando o ambiente fluídico para as ações dos demais obsessores.

Na Bíblia, sobretudo no Velho Testamento, há várias menções às aparições dos anjos do senhor, em razão disso os estudiosos bíblicos vêm afirmar que a expressão anjos do senhor causa uma certa curiosidade, por se tratar não apenas de mais um anjo, mas sim de um anjo específico, considerando a antecedência do artigo definido o nas referências. Vejamos algumas passagens bíblicas que se referem aos anjos do senhor:

Êxodo 3:2:

“O anjo de Jeová apareceu-lhe então numa chama de fogo no meio dum espinheiro. Enquanto ele olhava, ora, eis que o espinheiro não se consumia”.

Juízes 6:11 a 13:

“Mais tarde veio o anjo de Jeová e se sentou debaixo da árvore grande que havia em Ofra, que pertencia a Joás, o abiezrita, enquanto Gideão, seu filho, estava malhando trigo no lugar de vinho, para pô-lo depressa fora da vista de Midiã. Apareceu-lhe então o anjo de Jeová e disse-lhe: ‘Jeová está contigo, ó valente poderoso’. A isso Gideão lhe disse: ‘Perdão, meu senhor, mas se Jeová está conosco, então por que nos sobreveio tudo isso e onde estão todos os seus atos maravilhosos que nossos pais nos relataram, dizendo: Não foi do Egito que Jeová nos fez subir? E agora Jeová nos abandonou, e ele nos entrega na palma da mão de Midiã’”.

Juízes 13:3 a 21:

“Após um tempo apareceu à mulher o anjo de Jeová e disse-lhe: ‘Ora, eis que é estéril e não deste à luz nenhum filho. E certamente ficarás grávida e darás à luz um filho. E agora guarda-te, por favor, e não bebas nem vinho nem bebida inebriante, e não comas nada impuro. Pois, eis que ficarás grávida e certamente darás à luz um filho, e não deve vir navalha sobre a cabeça dele, porque o rapazinho se tornará narizeu de Deus ao sair do ventre; e será ele quem tomará a dianteira em salvar Israel da mão dos filisteus’.

Então a mulher foi e disse a seu esposo: ‘Veio a mim um homem do Deus, e sua aparência era igual à aparência do anjo do Deus, muito atemorizante. E eu não lhe perguntei nem donde era, nem me disse ele seu nome. Mas, ele me disse: Eis que ficarás grávida e certamente darás à luz um filho. E agora, não bebas nem vinho nem bebida inebriante, e não comas nada impuro, porque o rapazinho se tornará narizeu de Deus desde a saída do ventre até o dia da sua morte’.

E Manoá começou a suplicar a Jeová e a dizer: ‘Perdão, Jeová. O homem do Deus que acabas de enviar, por favor, deixa-o vir novamente a nós e instruir-nos quanto a que devemos fazer com o rapazinho que nascer’. Por conseguinte, o Deus escutou a voz de Manoá, e o anjo do Deus veio novamente à mulher enquanto ela estava sentada no campo, e Manoá, seu esposo, não estava com ela. A mulher apressou-se imediatamente, e correu e contou-o a seu esposo, e disse-lhe: ‘Eis que me apareceu o homem que outro dia viera a mim’.

Então, Manoá se levantou e acompanhou sua esposa, e veio ao homem e disse-lhe: ‘És tu o homem que falou à mulher’? Ao que ele disse: ‘Sou eu’. Manoá disse então: ‘Agora, cumpram-se as tuas palavras. Qual virá a ser o modo de vida do rapazinho e seu trabalho’. O anjo de Jeová disse, pois, a Manoá: ‘De tudo o que mencionei à mulher, ela deve guardar-se. Não deve comer absolutamente nada do que procede da videira vinífera, e não beba ela nem vinho nem bebida inebriante, e não coma nenhuma sorte de coisa impura. Guarde ela tudo o que lhe ordenei’.

Manoá disse então ao anjo de Jeová: ‘Por favor, permite-nos deter-te e aprontar um cabritinho diante de ti’. Mas o anjo de Jeová disse a Manoá: ‘Se me detiveres, não me alimentarei do teu pão; mas se quiseres fazer uma oferta queimada a Jeová, poderá oferecê-la’. Pois Manoá não sabia que era o anjo de Jeová. Manoá disse então ao anjo de Jeová: ‘Qual é teu nome, para que certamente te honremos quando se cumprir a tua palavra’? No entanto, o anjo de Jeová disse-lhe: ‘Por que é que me perguntarias assim pelo meu nome, quando ele é maravilhoso’?

E Manoá passou a tomar o cabritinho e a oferta de cereais, e passou a oferecê-la sobre a rocha a Jeová. E Ele fez algo dum modo maravilhoso enquanto Manoá e sua esposa olhavam. Assim, sucedeu que, ao subir a chama do altar para o céu, então o anjo de Jeová subiu na chama do altar enquanto Manoá e sua esposa olhavam. E eles se lançaram imediatamente com as suas faces por terra. E o anjo de Jeová não apareceu mais a Manoá e sua esposa. Foi então que Manoá ficou sabendo que tinha sido o anjo de Jeová”.

Se os credulários procuram seguir a Bíblia à risca, eles então deveriam sangrar alguns cordeiros e cabritos e fazer as suas ofertas aos anjos de Jeová, ou mesmo ao próprio Jeová, que adora a esse tipo de oferta. Afinal, os macumbeiros não fazem também as ofertas de galinhas degoladas para os seus guias protetores? Ora, todos são da mesma laia.

É tamanha a ignorância dos credulários, é tanta a estupidez causada pela obtusidade dos bíblicos, que às vezes me causam até um certo desânimo em constatar tanta má vontade em voltar a visão para contemplar a alta espiritualidade, tendo este explanador do Racionalismo Cristão que se desdobrar em esforços para esclarecer a toda a nossa humanidade, pois, felizmente, ainda existem aqueles que são detentores da boa vontade, para a felicidade geral de todos, e estes de boa vontade terão a paz na Terra, conforme a afirmativa de Jesus, o Cristo, que não tem nada de cordeiro desse deus bíblico, pois que não tem a mínima afinidade com os espíritos obsessores quedados no astral inferior.

Esses ignorantes estúpidos vêm afirmar que o anjo do senhor não passa de uma mera grafia para indicar as teofanias, que são as aparições de Jesus, o Cristo, antes de ser encarnado, como se fosse um deus, mas que os falsos cristãos criaram e passaram a utilizar o termo cristofania, que é a mesma coisa, pois que a referência é Jeová, o deus bíblico. Para tanto se utilizam de várias passagens bíblicas como referências a essa verdadeira maluquice, que extrapola aos raios da imaginação, tornando-se uma tremenda obsessão. Apenas a título de ilustração, vejamos algumas dessas passagens bíblicas:

Gênesis 18:1:

“Jeová apareceu-lhe posteriormente entre as árvores grandes de Manre, enquanto estava sentado à entrada da tenda, por volta do calor do dia”.

Gênesis 18:13:

“Jeová disse então a Abraão: ‘Por que foi que Sara se riu, dizendo: ‘Darei real e verdadeiramente à luz, embora eu tenha ficado velha?’”.

Gênesis 18:20-21:

“Por conseguinte, Jeová disse: ‘O clamor de queixa a respeito de Sodoma e Gomorra, sim, é alto, e seu pecado, sim, é muito grave. Estou disposto de todo resolvido a descer para ver se de fato agem segundo o clamor sobre isso, que tem chegado a mim, e se não for assim, ficarei sabendo disso’”.

Êxodo 3:6:

“E prosseguiu, dizendo: ‘Eu sou o Deus de teu pai, o Deus de Abraão, o Deus de Isaque e o Deus de Jacó’. Moisés escondeu então a sua face, porque estava com medo de olhar para o Deus”. 

Juízes 6:14:

“Em vista disso, Jeová se virou para ele e disse: ‘Vai neste teu poder e certamente salvarás a Israel da palma da mão de Midiã. Não te envio eu?’”.

Oseias 12:5:

“E Jeová, o Deus dos exércitos, Jeová é sua recordação”.

O quadro posto logo abaixo mostra as imagens dos anjos do senhor, que parece até esplendoroso para aqueles que ainda não sabem observar claramente aquilo que veem, pois que as pessoas geralmente só veem aquilo que querem ver, em conformidade com aquilo que lhes ditam as suas próprias imaginações. E logo mais abaixo o ambiente fluídico que é formado por esses anjos do senhor.

Continue lendo sobre o assunto:

Romae