17.01.02- A segunda tríade angelical

Prolegômenos
13 de julho de 2018 Pamam

A segunda tríade é composta pelos anjos que formam o segundo escalão da hierarquia de Jeová, o deus bíblico, os quais desempenham as suas funções obsessivas sob as ordens diretas dos anjos que formam a primeira tríade, mas nada impede que eles também venham a receber as ordens diretas por parte de Jeová. A imagem posta logo abaixo mostra os espíritos obsessores que formam a segunda tríade das falanges de Jeová.

Vejamos cada uma dessas hierarquias angelicais que formam a essa tríade:

DOMINAÇÕES

Os anjos chamados de dominações se caracterizam como sendo espíritos altamente obsessores, que são encarregados pelo deus bíblico de dirigir os destinos das nações que o adoram, cuja função principal é distribuir entre os demais espíritos obsessores as tarefas que lhes cabem nesse contexto obsessivo, cujas tarefas são sempre voltadas para o mal, daí a razão pela qual as nações vivem em constantes desentendimentos e conflitos, com umas querendo sempre se sobressair em relação as demais, tanto no poderio econômico como no poderio bélico, com essa belicosidade estando sempre com o pensamento voltado para as guerras, gastando fortunas e fortunas para se equiparem belicamente e para construírem novos armamentos bélicos, em detrimento do bem-estar dos seus próprios povos, sem jamais poderem imaginar que se somos todos irmãos em essência, logicamente que as nações também as são, mas a imaginação impede a produção de tais pensamentos mais elevados e possibilita a influência maléfica desses espíritos obsessores, agravando ainda mais a situação neste mundo.

Os credulários mais obtusos acreditam piamente que esses anjos negros chamados de dominações possuem uma forma humana alada de beleza inefável, por isso os descrevem como se fossem portadores de orbes de luz e de cetros indicativos do poder supremo sobre os governos das nações. As suas lideranças sobre as nações são afirmadas também pela palavra proveniente do grego kryotes, que significa senhor, que os credulários aplicam a essa classe de anjos, a qual não passa de espíritos tremendamente obsessores.

O pior de tudo é que esses credulários mais obtusos acreditam piamente também que esses anjos negros auxiliam nas emergências e nos conflitos que devem ser resolvidos com tempestividade. E auxiliam sim, quando as emergências e os conflitos acabam em morte. E acreditam ainda que esses anjos negros atuam como elementos de integração entre os mundos material e espiritual, embora raramente entrem em contato com as pessoas. E atuam sim, como elementos de integração entre os seres humanos e o astral inferior, auxiliando nas correntes formadas pelas classes de anjos ainda mais inferiores do que eles mesmos, que atuam obsedando diretamente aos seres humanos.

O querido leitor pode refletir da seguinte maneira: Deus é a Inteligência Universal, todo o Universo Nele se encontra contido, então Ele é o Todo, e se Ele é o Todo, tudo parte do Todo e para o Todo retorna. Após esta reflexão, o querido leitor pode indagar o seguinte: se o verdadeiro Deus é o Todo, então para que Ele formaria exércitos? É óbvio que o verdadeiro Deus não possui exércitos, quem possui exércitos são os espíritos obsessores mais poderosos, que pretendem ser os deuses das nações e até da humanidade, como é o caso de Jeová, que por isso guerreiam com os demais obsessores que alimentam as suas pretensões de também serem deuses, por isso são inimigos uns dos outros. Vejamos o que São Gregório escreveu a respeito disso:

Algumas fileiras do exército angélico chamam-se Dominações, porque os restantes lhes são submissos, ou seja, lhes são obedientes”.

Jeová formou uma hierarquia de espíritos obsessores bastante poderosa, porque nessa sua hierarquia eles formam uma corrente que parte de Jeová, estende-se pela primeira tríade, passa pela segunda tríade, e se fortalece ainda mais na terceira tríade, com esta facilitando as ações exercidas pela quarta tríade, por onde se espalha por todo o orbe terrestre, através dos anjos especiais, dos anjos da guarda e dos anjos do senhor, que depois faz o sentido inverso, retornando para Jeová. Essa corrente deletéria é fortemente alimentada por todos os credos e seitas que seguem a Bíblia, quando os seus credulários participam dos cultos, adoram, fazem rezas e orações, promessas, pedidos, e tudo o mais do gênero em direção ao deus bíblico, indiretamente através dos santos e até mesmo de Jesus, o Cristo, e da Virgem Maria, pois que os credulários não conseguem formar uma ideia precisa a respeito das suas naturezas espirituais, por isso o astral inferior utiliza as imagens do nosso Redentor e da sua mãe biológica ao seu modo, posto que Jeová fica em seu palácio fluídico pairando no alto da atmosfera terrena, sentado em seu trono, sendo devidamente guardado pela primeira tríade. Encontra-se escrito no site apostoladosagradoscoracoes.angelfire.com, o seguinte:

Embora não pertençam ao Coro da guarda palaciana, como os três Coros mais altos, contudo estão muito próximos deles e formam com os mesmos os quatro Coros do Trono. São enviados por DEUS a missões mais relevantes, e também estão incluídos entre os Anjos que exercem a ‘função de Ministros de DEUS’.

Na verdade, eles dominam sobre todas as demais Ordens Angélicas encarregadas de executar a Vontade do CRIADOR”.

Mas aí os credulários que se julgam cristãos, mas que na realidade são todos anticristãos, podem argumentar o seguinte: nós também adoramos a Cristo. Mas não podem os anticristãos seguirem a Jesus, o Cristo, porque não possuem a mínima noção de todo o esplendor da sua luz, por isso não podem compreender jamais aos seus verdadeiros ensinamentos, e a prova incontestável disso é que nenhum ser humano se dispõe a viver na mesma simplicidade que o Nazareno viveu, pois que são todos ávidos por riqueza, e os que vivem na pobreza assim se encontram por força das circunstâncias, em função das suas encarnações pretéritas. E mais: caso atentassem para a simplicidade do nosso Redentor, poderiam constatar claramente que ele jamais desejou ser adorado por quem quer que seja, pois que a adoração é algo criado pelo astral inferior, pelos espíritos obsessores que pretendem ser deuses.

E se a Bíblia passa a ligar o nome de Jesus, o Cristo, a Jeová, o deus bíblico, os credulários bíblicos automaticamente passam a adorá-lo como se ele também fosse um deus, pois que ligado a Jeová, quando então os espíritos obsessores que pertencem às falanges de Jeová passam a utilizar a imagem do Nazareno para os seus fins maléficos. Sabe-se que tudo forma imagens, que ficam gravadas no ambiente fluídico terreno, por isso eu vou mostrar a essa imagem credulária de Jesus, o Cristo, no site pamam.com.br.

Esses anjos chamados de domínios possuem uma participação efetiva nos planos de Jeová em dominar o mundo, mas os seres humanos, principalmente os credulários bíblicos, pensam erroneamente que é para o bem, enquanto outros não acreditam na existência dos anjos de Jeová. Ora, se o deus bíblico domina o mundo através dos seus anjos negros, por que então o bem não predomina sobre o mal? Simplesmente porque o deus bíblico é a própria expressão do mal, e se o mundo assim se encontra, é em função dele mesmo. Em sua Suma Teológica, São Tomás de Aquino nos fornece um entendimento maior sobre os anjos dominação, o que o faz claramente da seguinte maneira:

O domínio ou senhorio das dominações, por conseguinte, é participação na verdadeira dominação de DEUS. O CRIADOR domina sobre o mundo, através das Dominações Angélicas, que LHE são submissas”.

VIRTUDES

Assim como os anjos chamados de dominações se caracterizam como sendo espíritos altamente obsessores que são encarregados pelo deus bíblico de dirigir os destinos das nações que o adoram, cuja função principal é distribuir entre os demais espíritos obsessores as tarefas que lhes cabem nesse contexto obsessivo, do mesmo modo os anjos chamados de virtudes se caracterizam como sendo também espíritos altamente obsessores, que são encarregados pelo deus bíblico de dirigir os destinos das pessoas consideradas mais influentes nas nações, cuja função principal é distribuir entre os demais espíritos obsessores as tarefas nesse contexto obsessivo, cujas tarefas são dirigidas para desviá-los das aspirações que carregam consigo para o bem comum da nossa humanidade, intuindo-os para que eles possam imaginar outros caminhos a serem seguidos em suas vidas.

Além disso, eles também provocam os desentendimentos e os conflitos entre os seres humanos, insuflando as suas vaidades, as suas soberbias, as suas egolatrias, os seus egoísmos, as suas usuras, as satisfações dos seus desejos intemperados, os seus apegos excessivos aos bens materiais, os seus raciocínios superficiais voltados para as suas próprias opiniões pessoais, e outros predicados mais do mesmo gênero, agindo intensamente no sentido de que todos passem a pensar exclusivamente em torno dos seus próprios universos pessoais, imaginando que tudo neste mundo lhes diz respeito diretamente, como se tudo que existisse girasse em torno de si mesmos, para que assim todos venham a se colocar em primeiro plano na vida, sem qualquer preocupação solidária para com os seus semelhantes, para que assim possam dominar a todos os seres humanos com muito mais facilidade.

Tudo isso produz uma imensa confusão nos corpos mentais dos seres humanos, que sendo completamente ignorantes acerca da espiritualidade, não tendo a mínima noção acerca dos porquês da vida, principalmente que são fortemente intuídos pelos espíritos obsessores, passam a pensar que todas as coisas, fatos e fenômenos que imaginam são provenientes de si mesmos, quando, na realidade, não são, por hipótese alguma, daí então passam a imaginar que vivem na realidade da vida, não conseguindo compreender que tudo isso não passa de imaginação, de simples imaginação provocada pelo astral inferior, em decorrência todos os seres humanos vivem na irrealidade de vida, não passando de simples instrumentos dos espíritos obsessores, agindo como se fossem meros robôs, como se não tivessem vontade própria. É tanta a confusão mental dos seres humanos, que eles estando vivendo um verdadeiro psitacismo, embora disso não tenham a mínima consciência.

Mas para os teólogos e os credulários bíblicos, os anjos chamados de virtudes são os responsáveis pela manutenção dos astros para que a ordem do Universo possa ser preservada, com o seu nome estando associado ao termo grego dunamis, que significa poder ou força, que foi traduzido como virtudes, conforme consta em Efésios 1:21 a 23, que diz:

Muito acima de todo governo, e autoridade, e poder, e senhorio, e todo nome dado, não só neste sistema de coisas, mas também no que há de vir. Sujeitou também todas as coisas debaixo dos pés dele, e o fez cabeça sobre todas as coisas para a congregação, a qual é o seu corpo, a plenitude daquele que em tudo preenche todas as coisas”.

Daí a razão pela qual os teólogos e os credulários bíblicos virem afirmar que os seus atributos são a pureza e a fortaleza. Mas, pureza e fortaleza? Caso alguém queira constatar realmente a pureza e a fortaleza dos anjos virtudes, basta apenas observar os seus reflexos no contexto da nossa humanidade. Após isto, indagar: quem são mais criminosos, os seres humanos ou os anjos virtudes?

Esses anjos chamados de virtudes são obsessores tão perigosos, mas tão perigosos, que eles formam a corrente obsessiva para que os demais espíritos obsessores que lhes são ainda mais inferiores possam atuar com mais vigor nos seres humanos que eles obsedam. Assim, estando plenamente conhecidas as suas “virtudes”, pode-se agora compreender a razão pela qual vem o Pseudo-Dionísio, o Aeropagita, dizer a todos que esses anjos possuem uma virilidade e um poder inabaláveis, buscando sempre se espelhar na fonte de todas as virtudes, que no caso são as “virtudes” de Jeová, e as transmitindo aos seus inferiores.

Agora vejam só o que dizem os teólogos e os credulários bíblicos, que os anjos virtudes orientam as pessoas sobre as suas missões neste mundo, sendo encarregados de eliminar os obstáculos que se opõem ao cumprimento das ordens do deus bíblico, afastando os anjos maus que assediam as nações para desviá-las dos seus fins, mantendo assim as criaturas e a ordem da divina providência, quando, na realidade, todos podem observar claramente o completo caos em que vivem os seres humanos, em que ninguém se entende com ninguém.

E que eles são particularmente importantes porque têm a capacidade de transmitir grande quantidade de energia divina, que estando imersa na força do deus bíblico, são derramadas em forma de bênçãos do alto, frequentemente na forma de milagres. Sabe-se agora que essas bênçãos dadas pelo deus bíblico nada mais são do que a força e a energia provenientes de espíritos obsessores que derramam os seus fluidos pestíferos sobre os abençoados.

Depois ainda falam de Maquiavel, quando dizem que um trama com alguma intenção oculta é maquiavélica, que comparado ao trama urdido maleficamente por Jeová e os seus anjos negros chega a ser irrelevante, sem maiores consequências. Os seres humanos possuem um pensamento completamente equivocado sobre todos os anjos que servem a Jeová, o deus bíblico, como no site apostoladosagradoscoracoes.angelfire.com em relação aos anjos chamados de virtudes, que diz assim:

As atribuições dos Anjos deste Coro são semelhantes aos dos Anjos do Coro Potestades, porque eles também transmitem aquilo que deve ser feito pelos outros Anjos, mas, sobretudo, auxiliam no sentido de que as coisas sejam realizadas de modo perfeito. Assim, eles têm também a missão de remover os obstáculos que querem interferir no perfeito cumprimento das ordens do CRIADOR. São Tomás de Aquino lhes atribui ainda a missão de proteger a parte física das pessoas, do mesmo modo como ele atribui às Dominações o poder de presidir a natureza celeste. São considerados Anjos fortes e viris. Quem sofre de fraquezas físicas ou espirituais, deve invocar por meio de orações o auxílio e a proteção de um Anjo do Coro das Virtudes

Aos que julgam sofrer de fraquezas físicas ou espirituais, que costumam invocar por meio de orações o auxílio e a proteção dos anjos virtudes, pensando que as suas ações serão realizadas de modo perfeito, que os obstáculos serão removidos e que receberão a proteção das suas partes físicas, vejam na figura abaixo a quem estão invocando diretamente.

Esses anjos negros chamados de virtudes nada têm de virtuosos, e muito menos comandam os astros, pois que estando quedados no astral inferior não possuem a mínima noção do que seja o Universo, em sua incomensurabilidade, e muito menos são afeitos ao estudo da Astronomia, sendo, pois, os responsáveis pelo estudo da Astrologia, que não é uma parcela do Saber, portanto, não possui em seu escopo nada que venha a ser científico.

A Astrologia é uma pseudociência que encontra apoio nos credos e nas suas seitas, segundo a qual as posições relativas dos corpos celestes poderiam prover informações sobre a personalidade, as relações humanas e outros assuntos relacionados à vida do ser humano, sendo por isso que muitos papas não saíam dos seus palácios sem que antes soubessem o que diziam os astros ao seu respeito, ao consultarem os seus astrólogos particulares, assim como também outros sacerdotes, além do povo em geral mais místico.

Ela é considerada tal como se fosse uma atividade divinatória, quando utilizada como se fosse um oráculo. O psicanalista Carl Gustav Jung realizou estudos a respeito da Astrologia, mas sendo completamente ignorante a respeito da espiritualidade, baseou uma das suas opiniões na teoria da sincronicidade. Esta teoria da sincronicidade é largamente refutada por uma boa parte da própria sociedade, por não ter qualquer embasamento científico, pois que ela define acontecimentos que não se relacionam por uma relação causal, mas sim por relação de significados, ao que o psicanalista denomina de coincidência significativa.

Mas a Astrologia sempre foi utilizada por espíritos obsessores, já que os registros históricos mais antigos afirmam que ela surgiu no terceiro milênio a.C., exercendo um papel importante na formação das culturas de diversas nações, já que a sua influência é encontrada na Astronomia antiga, nos Vedas, em várias disciplinas através da História e até mesmo na Bíblia, como consta em Daniel 2:27 e 4:7, em Mateus 2:1, 7 e 16, nesta mesma ordem, assim:

Daniel respondeu perante o rei e disse: ‘O segredo que o próprio rei pede, nem os próprios sábios, nem os conjuradores, nem os sacerdotes-magos, nem os astrólogos podem mostrar ao rei’.

Naquele tempo entraram os sacerdotes-magos, os conjuradores, os caldeus e os astrólogos; e eu relatava na frente deles qual tinha sido o sonho, mas não me fizeram saber a sua interpretação.

Depois de Jesus ter nascido em Belém da Judeia, nos dias de Herodes, o rei, eis que vieram astrólogos das regiões orientais a Jerusalém.

Herodes convocou, então, secretamente os astrólogos e averiguou deles cuidadosamente o tempo do aparecimento da estrela.

Herodes, vendo então que tinha sido logrado pelos astrólogos, foi tomado de grande fúria e mandou eliminar todos os meninos em Belém e em todos os seus distritos, de dois anos de idade para baixo, segundo o tempo que tinha cuidadosamente averiguado dos astrólogos”.

Em face dos espíritos obsessores, a Astrologia e a Astronomia eram mescladas, indistinguíveis, até à Idade Moderna, tendo começado a segregação uma da outra através das suas divergências desde o tempo de Cláudio Ptolomeu, com essa segregação tendo culminado no século XVIII, com a remoção oficial da Astrologia do meio universitário. Atualmente, existe no Brasil o Curso de Aperfeiçoamento em Formação e Pesquisa Astrológica, no centro universitário de Brasília, a UNICEUB, coordenado pelo astrólogo Francisco Seabra, que parece ser o único curso, pois não existem registros oficiais de cursos de Astrologia em outras universidades, mesmo nos Estados Unidos.

Os astrólogos afirmam que o movimento e as posições dos corpos celestes podem influenciar diretamente ou representar eventos na Terra e em escala humana, com alguns deles definindo a Astrologia como sendo uma linguagem simbólica, assim como se fosse uma espécie de arte, ou mesmo uma forma de vidência, enquanto outros a definem como sendo uma ciência social e humana.

Agora se sabe que nenhum astro comanda as ações dos seres humanos, pois que estas ações humanas são comandadas pelos anjos virtudes, ou seja, pelo astral inferior, que influi diretamente no comportamento humano, pelo fato da nossa humanidade se encontrar ainda na fase da imaginação, sendo por isso que alguns astrólogos afirmam ser uma espécie de arte, com esta arte estando voltada para a vidência, pois que eles são obsedados pelo astral inferior, por isso não existe nada de ciência social e humana.

Daí a razão pela qual nenhum estudo científico realizado até hoje mostrou qualquer eficiência da Astrologia para descrever as personalidades das pessoas, ou mesmo para fazer previsões, por isso ela é considerada pela comunidade científica como sendo uma pseudociência, estando mais afeita às superstições, pela ignorância em relação à espiritualidade, não sendo compatível com o método científico, pois normalmente as descrições de personalidades são generalizadas, em que o astral inferior não revela aquilo que observa nas auras das pessoas.

No âmbito da Física tida como sendo moderna, e da Astrofísica, não existe nenhum modo de interação entre uma pessoa e a posição dos planetas e das estrelas que possa ser responsável pela transmissão de uma suposta influência das características de pensonalidades humanas, nem por ocasião do nascimento. Além disso, todos os testes realizados até o momento, por intermédio de métodos para incluir um grupo de controle e mascaramento adequado entre experimentadores e sujeitos, não resultaram em qualquer efeito, além do puro acaso, que os cientistas julgam existir. Por outro lado, alguns testes psicológicos mostraram que é possível elaborar descrições de personalidade e previsões suficientemente genéricas para satisfazer a maioria dos membros de um grande público ao mesmo tempo, em que os efeitos desses testes psicológicos são conhecidos como o Efeito Forer.

E isto se explica em função do fato de que os espíritos encarnam vindo diretamente dos seus Mundos de Luz, onde lá prepararam adredemente as suas encarnações neste mundo, elaborando todos os seus planejamentos. E se não agem neste nosso mundo-escola em função daquilo que foi planejado em seus Mundos de Luz, é porque se deixam levar pelas intuições dos espíritos obsessores, que os conduzem para satisfazer às suas intenções malévolas. No entanto, existem os raios cósmicos, que são os raios que emanam das estrelas diretamente para os seres que habitam originariamente os planetas que se encontram sob as suas égides.

POTESTADES

Na condição de espíritos, os seres humanos desenvolvem os três órgãos mentais. Através da propriedade da Força é desenvolvido o órgão mental denominado de criptoscópio, que tem a função de perceber e a finalidade de captar os conhecimentos metafísicos acerca da verdade. Através da propriedade da Energia é desenvolvido o órgão mental denominado de intelecto, que tem a função de compreender e a finalidade de criar as experiências físicas acerca da sabedoria. E através da propriedade da Luz é desenvolvido o órgão mental denominado de consciência, que tem a função de coordenação e a finalidade de coordenar o criptoscópio e o intelecto, para que então a verdade possa exercer o seu papel de fonte da sabedoria, e assim, agindo em conformidade com a verdade e a sabedoria, todos possam agir em conformidade com a razão.

É certo que praticamente todos os seres humanos ainda não possuem os conhecimentos metafísicos acerca da verdade, pois que ignoram completamente a existência do Racionalismo Cristão, e que as poucas experiências físicas acerca da sabedoria com que alguns poucos estudiosos se deparam são originadas da Grécia antiga, em quase toda a sua totalidade, por isso elas não são aplicadas no cotidiano das suas vidas e das vidas das demais pessoas. Mas, de qualquer maneira, os seres humanos possuem os seus próprios conhecimentos culturais e as suas próprias experiências pessoais, apesar de serem todas provenientes das suas imaginações, o que lhes permitem distinguir com certa clareza as grandes diferenças que existem entre o bem do mal, entre as boas ações e as más ações, cujas diferenças são distinguidas por intermédio das suas consciências, apesar de muitas vezes eles confundirem o bem com o mal. E tanto isto é um fato real e verdadeiro, que todos aqueles quando se dispõem a praticar as suas más ações sempre as praticam às escondidas, fora da vista de todos, ou, como dizem os populares, “por debaixo dos panos”, “por detrás da cortina”, “na moita”.

Pode-se assim compreender com uma maior clareza que a maior função dos anjos chamados de potestades é justamente obscurecer as consciências dos seres humanos, que estando assim com as suas consciências obscurecidas, não conseguem encontrar uma freio que venha a paralisar as más ações que praticam, obstringindo-as, as quais eles praticam em todos os instantes, em todos os momentos das suas vidas. Não são as sanções humanas que podem proporcionar um freio aos crimes praticados pelos seres humanos, mesmo com o agravante da reincidência, mas sim as suas próprias consciências, que estando enegrecidas pelos espíritos obsessores ensejam a que o mal venha a campear por todo o orbe terrestre.

Daí a razão pela qual vem o credo católico e as suas seitas virem a anunciar de viva voz a todos os seus prosélitos que venham todos a se arrepender dos seus pecados, pois que o deus bíblico é “bondoso” e perdoa a todos os pecadores, com os sacerdotes assumindo o poder de conceder as absolvições, já que servem ao deus bíblico e dele são instrumentos, então os pecadores julgam se arrepender, são absolvidos, voltam a pecar, são novamente absolvidos, voltam a pecar, são mais uma vez absolvidos, voltam a pecar, e assim se forma inevitavelmente um ciclo vicioso.

Na realidade, não existe perdão para os erros e os crimes cometidos, que os credulários denominam de pecados, pois que todos os erros e crimes cometidos têm que ser resgatados, geralmente às duras penas, através de sofrimentos bastante dolorosos, para que assim possa ser restabelecida por inteiro a ordem no Universo.

Tomemos como exemplo o fato de um político receber propinas de empresas para as suas campanhas políticas, em que boa parte ele coloca no próprio bolso, que assim procede com a promessa de oferecer contrapartidas em obras ou em serviços públicos, ou o fato de um funcionário público receber propinas de empresas para prestar o serviço ao qual ele é obrigado a prestar ao público em geral. Em ambos os casos, há o crime de extorsão, no primeiro caso mediante a ameaça dos políticos da não contratação de obras ou serviços públicos dessas empresas, e, no segundo caso, a ameaça da não prestação do serviço ou a sua protelação por parte do funcionário público, ou mesmo outras ameaças, como desaprovar laudos, ou mesmo mentir nos laudos, etc., sempre com o intuito de obter para si ou para outrem a vantagem econômica indevida, tolerando que se faça ou que se deixe de fazer alguma coisa, sem que nunca venha a ser descaracterizada a intenção do enriquecimento ilícito. Além disso, tanto os políticos como os funcionários públicos são servidores públicos, e assim eles cometem também o crime de concussão, ao exigirem para si, ou mesmo para outrem, direta ou indiretamente, em razão da função que exercem, vantagens indevidas, como o agravante de ser mediante a extorsão. Todos esses, sem dúvida alguma, são traidores da pátira. Que sórdida vilania!

O arrependimento, mesmo sendo extremamente sincero, em nada vem atenuar o erro ou o crime cometidos, pois ele serve apenas para desobscurecer um pouco a consciência do criminoso. E se ele realmente apelar sempre para a sua consciência antes que venha a cometer novos erros e crimes, estará assim a caminho da sua regeneração.

Mas para os teólogos e os estudiosos da doutrina católica, os anjos chamados de potestades são os condutores da ordem sagrada, sendo os encarregados de executar as grandes ações que tocam no governo universal e os portadores da consciência de toda a nossa humanidade, os encarregados da sua história e da sua memória coletiva, estando relacionados com o pensamento superior, tais como ideais, credo e até da Saperologia, além da política em seu sentido abstrato.

Qualquer um que possua um médio intelecto e que não seja um credulário fanático, pode claramente constatar que se os anjos potestades são realmente os portadores da consciência de toda a humanidade, então essa consciência da nossa humanidade que estabelece o caos social em que vivemos é decorrente das ações desses anjos potestades, cujo caos social se verifica em todos os tempos, já que eles são também os encarregados da nossa história. E qual são os pensamentos superiores? São apenas uns poucos que foram produzidos pelos seres humanos que serviram como instrumentos do Astral Superior. E como se retrata a nossa política? A esta são dispensados maiores comentários, em razão de quase todos os políticos não passarem de uns patifes vilões, que somente olham para si mesmos, pois que desprovidos de qualquer senso de altruísmo e com o bem-estar dos seus compatriotas. Que vergonha!

Os atributos dos anjos potestades de organizadores e de agentes do intelecto são enfatizados pelo Pseudo-Dionísio, o Aeropagita, pois que ele se refere apenas ao intelecto, por se encontrar com a sua consciência obscurecida pelos espíritos obsessores bíblicos, acrescentando ainda que a autoridade desses anjos potestades é baseada no espelhamento da ordem divina e não na tirania, tendo eles a capacidade de absorver, armazenar e transmitir o poder do plano divino, cujo plano “divino” é destruir a vida na Terra, através do fogo.

Ora, estando com a consciência obscurecida pelos anjos potestades, nenhum ser humano pode conseguir coordenar o seu criptoscópio com o seu intelecto, então os demais espíritos obsessores podem se aproximar à vontade para intuir conhecimentos credulários e outros conhecimentos malignos nas mentes dos seres humanos, enquanto outros se aproximam para intuir experiências que eles ousam pôr à prova, pelo que assim pautam as suas ações voltadas para o mal. E assim os obsedados vão passando a cooperar com o plano “divino” do deus bíblico, tornando-se os seus dóceis instrumentos, cujo “divindade” desse plano, devo repetir, é destruir por inteiro a vida no planeta Terra, através do fogo.

Quem possui asas são os pássaros, e jamais os espíritos, que não possuem corpo carnal, mas sim o corpo fluídico, ou perispírito. As asas que os anjos usam servem para pairar sobre a atmosfera terrena e para impressionar aos incautos. Agora vejam vejam só, se a velocidade da luz é de 300.000 km/s e a Astrofísica utiliza anos-luz para medir as distâncias cósmicas, já que os seus cientistas não possuem ainda uma noção adequada acerca do Universo, é de se indagar: como é que esses anjos do deus bíblico podem viajar pelo Universo batendo as suas asas fluídicas de maneira estúpida? A resposta para esta indagação é bem simples. Esses anjos negros não viajam pelo Universo, pois que dele não possuem a mínima noção, já que se encontram presos na atmosfera terrena. Assim, a única viagem que eles fazem é percorrendo a a atmosfera terrena entre a face da terra e o céu do deus bíblico.

Note-se que os seres humanos falam muito das estrelas, assim como também os cientistas e até mesmo a Bíblia. Mas ninguém possui a mínima noção da composição estelar e muito menos que as estrelas fornecem as coordenadas universais, em que os mundos que rolam pelo Universo, os quais são formados e habitados pelos seres, ficam sob as suas égides.

Muitos credulários bíblicos gostam de invocar os santos e os anjos alados, embora poucos conheçam a hierarquia angelical do deus bíblico, por conseguinte, a função que cada uma dessas falanges angelicais exerce no cenário do mundo. Esses credulários bíblicos pensam erroneamente que os anjos são seres bonzinhos e que procuram sempre praticar o bem em prol dos seres humanos, enquanto que o homem é mau, assim como se fosse mau por natureza. Mas não é nada disso. Quando os espíritos encarnam neste mundo, eles vêm para passar um período como encarnados, como seres humanos, para cumprirem exatamente com aquilo a que se comprometeram quando em seus Mundos de Luz eram mais lúcidos, mais clarividentes, em função do ambientes fluídico lhes ser favorável. Mas com as atuações do astral inferior eles se deixam levar pelas correntes avassaladoras e o resultado é o estado calamitoso em que se encontra a nossa humanidade, em que ninguém se entende com ninguém.

Quando uma boa parte dos seres humanos passar a militar no Racionalismo Cristão, frequentando as suas sessões públicas e fazendo as suas vibrações magnéticas, radiações elétricas e radiovibrações eletromagnéticas ao verdadeiro Deus e ao Astral Superior, então o ambiente fluídico do planeta mudará por completo, com esses espíritos obsessores sendo arrebatados dos locais em que se encontram e transladados para os seus respectivos Mundos de Luz. Por isso, não se deve fazer invocações aos anjos, pois que estão invocando as figuras postas abaixo.

 

Continue lendo sobre o assunto:

Romae