15- O CATOLICISMO DE JEOVÁ, O DEUS BÍBLICO

Prolegômenos
23 de junho de 2018 Pamam

Somente aquele que não sabe contemplar a natureza em todo o seu esplendor, em que se retratam nitidamente todos os seres, em seus diversos estágios evolutivos, assim como também as suas evoluções constantes e ininterruptas, pode ser capaz de negar a existência do Criador, considerando que tudo aquilo que se lhe apresenta magnificamente aos olhos seja simples obra do acaso, tendo surgido de maneira curiosa e surpreendentemente espontânea, quando em tudo se encontra refletida a Inteligência Universal.

Mas há aqueles que não ignoram a existência de Deus. No entanto, por extrema ignorância, ou mesmo por pura maldade, ou ainda por extrema vaidade, passam a querer ser mais inteligentes do que a própria Inteligência Universal, querendo ser ainda maiores do que o próprio Deus, embora por estratégia maldosa sejam subservientes ao deus a que seguem. Nessa pavonice estúpida, ao invés de contemplarem diretamente a natureza e dela tirarem os conhecimentos exigidos para a verdade e as experiências exigidas pela sabedoria da vida neste nosso mundo-escola, para que assim possam ingressar diretamente no âmbito da razão, agem justamente ao contrário, seguindo a um deus de carne e osso, feito à imagem e semelhança do homem, portanto, extremamente materializado, geralmente inventando atributos sobrenaturais e os colocando nesse deus a quem dizem seguir e a quem dizem adorar, sempre com o antropormorfismo vingando em todos os sentidos, e assim manipulando ao seu sabor a esse deus a quem dizem seguir e adorar, segundo as suas próprias conveniências, ou às suas inconfessáveis intenções, dizendo, inclusive, que existe a salvação.

É lógico e evidente que não existe a salvação no contexto da espiritualidade, uma vez que o verdadeiro Criador jamais se aparta das Suas criaturas, que o Ser Total jamais se aparta dos Seus seres, pois que Dele fazem parte integrante, antes os fazem evoluir, o que é o óbvio, para que neles possa ir se alojando aos poucos, em conformidade com o estágio evolutivo em que eles se encontram, justamente por isso Deus se encontra em todas as criaturas, em todos os seres, como jamais poderia ser diferente, e como realmente não o é, de modo algum, jamais, nem por hipótese. A ação ou o efeito de salvar ou de se salvar credulariamente é proveniente da classe sacerdotal, que em sua crassa ignorância ignorou o preceito da evolução destinada a todos as criaturas, a todos os seres, deturpando por completo o retorno de todas as criaturas, ou de todos os seres, ao seio de onde provêm, para que assim possam incorporar todas as suas imperfeições ao acervo do Criador, uma vez que Ele é Tudo, ou o Todo, passando, daí em diante, a evoluir no âmbito da perfeição, reintegrando-se ao Todo, caso ainda exista a evolução após a reintegração ao Todo, o que não sei afirmar.

Em agindo justamente ao contrário do modo como deveriam agir, desprezando por completo a natureza, eles passam a criar o devaneio, o inexplicável, o inexistente, portanto, o nada, o que realmente não existe. Eis, pois, o sobrenaturalismo! Eis, portanto, a classe sacerdotal! Eis, assim, como surgem os credos e as seitas das mais diversas naturezas, todos sem sentido, sem lógica, sem qualquer racionalidade! Eis, enfim, como também tem que surgir, necessariamente, a fé credulária, por conseguinte, o instituto da salvação!

Quando se trata acerca da verdade, deve-se necessariamente perceber e captar os conhecimentos metafísicos que lhe dizem respeito, os quais devem ser transmitidos por intermédio de uma doutrina, que deve se encontrar inserida de algumas experiências físicas acerca da sabedoria, formando as teorias “a priori”, para que assim essa doutrina possa ser apreendida pelos intelectos daqueles que não seguem, sobremaneira, a verdade.

Quando se trata acerca da sabedoria, deve-se necessariamente compreender e criar as experiências físicas que lhe dizem respeito, as quais devem ser transmitidas por intermédio de um sistema, que deve se encontrar inserido de alguns conhecimentos metafísicos acerca da verdade, formando as teorias “a posteriori”, para que assim esse sistema possa ser apreendido pelos criptoscópios daqueles que não seguem, sobremaneira, a sabedoria.

E quando já existe essa doutrina acerca da verdade, assim como existe no Racionalismo Cristão, deve ser criado um sistema acerca da sabedoria que corresponda a essa doutrina, em que esta é a sua legítima e verdadeira fonte. Assim, e somente assim, a verdade pode se encontrar em consonância com a sabedoria, por onde se pode alcançar a razão. Tendo então a nossa humanidade finalmente encontrado a razão, torna-se absolutamente necessário que venha a ser inferida uma finalidade para a nossa existência, que é eterna e universal.

As doutrinas que existem neste mundo no âmbito credulário, encontram-se todas situadas no âmbito do sobrenatural, que não existe, e assim, como afirma Farias Brito, elas não podem ser apreendidas pela compreensão humana, por isso os sacerdotes apelam para a fé credulária, que é crer sem compreender, com todos temendo ao falso deus que adoram, ignorando que jamais se pode temer e amar ao mesmo tempo, por isso os cultos credulários, as preces, as súplicas, as adorações, as genuflexões, as curvaturas de colunas, e tudo o mais do gênero, são todos dirigidos ao astral inferior, que se regozijam com todas essas bobagens credulárias, tornando ainda mais trevoso e perigoso o ambiente terreno.

Em sendo assim, nenhuma dessas doutrinas credulárias reúne as condições necessárias para servir de fonte a qualquer sistema de sabedoria, pois que nenhuma delas traz a verdade em si, já que a verdade interage apenas com sabedoria, e mais nada, para que assim ambas venham alcançar a razão. Embora todos os credos e seitas possuam as suas doutrinas, eles não possuem os seus sistemas correspondentes, embora quase todos possuam uma finalidade, que é sempre a mesma: a esdrúxula salvação.

Como são milhares e milhares as doutrinas dos credos e das suas seitas que pululam por esse mundo afora, torna-se impraticável discorrer sobre cada uma delas. Deste modo, eu vou discorrer apenas sobre a doutrina do principal credo dito cristão, que é o credo da Igreja Católica Apostólica Romana, pois que além de ser um credo milenar, é o credo que mais influiu na história desta nossa civilização, cuja influência maléfica e nociva somente deverá ser explanada ainda mais nestes Prolegômenos, afora tudo aquilo que já foi explanado acerca da classe sacerdotal e do falso cristianismo, para que assim todos possam vir a adquirir a noção exata dos tantos males que os credos e as suas seitas causam à nossa humanidade, além do grave perigo que expõe sobre a vida na Terra.

 

Continue lendo sobre o assunto:

Romae