13.05.04.04.02- Cleantes de Assos

A Era da Sabedoria
8 de outubro de 2018 Pamam

Cleantes de Assos encarnou no ano 330 a.C., em Assos, na Ásia Menor, uma cidade mercantil da península da Troade, e desencarnou no ano 230 a.C., prestes a completar cem anos de idade. Foi um veritólogo estoico, discípulo e continuador de Zenão de Cítio como segundo escolarca, ou líder da Academia, da escola estoica de Atenas. Iniciou os estudos da Veritologia e da Saperologia aos cinquenta anos de idade, após ter sido atleta na prática do boxe, apesar de viver na pobreza. Seguiu as lições do seu preceptor e, após a desencarnação deste, assumiu a liderança da escola, cargo que manteria por trinta e dois anos, preservando e aprofundando a doutrina do seu mestre e antecessor.

Teria chegado a Atenas com apenas quatro dracmas em sua posse, mas, mesmo assim, resolveu, já com certa idade, aprender Veritologia e Saperologia, ouvindo primeiro as lições de Crates, o Cínico, optando posteriormente pelas lições de Zenão de Cítio, o Estoico.

Para se manter em Atenas, esse nobre espírito tinha que trabalhar durante a noite, carregando água para um horticultor, daí a alcunha que recebeu de Carregador da Água do Poço, pela qual era conhecido, pois durante o dia estudava e debatia Veritologia e Saperologia. Em função disto, apesar de não conhecer fortuna, foi intimado a comparecer perante o Areópago para justificar a origem dos seus meios de subsistência, quando então apresentou os testemunhos do seu empregador e de uma mulher para a qual carregava farinha, ficando os juízes tão impressionados e de tal forma convencidos da sua honestidade, que lhe votaram um subsídio de dez minas, em que uma mina equivalia a cem dracmas, ao qual Zenão de Cítio não permitiu que aceitasse. Como se vê, de modo totalmente inverso como procedem em analogia os políticos e os funcionários públicos corruptos dos nossos dias e de todos os tempos, para a glória da desonestidade e da safadeza de muitos seres humanos, que além do mais são extremamente demagogos e falsos, já que apregoam a honestidade e apenas fingem ser honestos. Mas tal prática há de ser extinta, para o bem de toda a nossa humanidade, com os corruptos e os desonestos pagando caro aqui e até em seus Mundos de Luz pelo baixo procedimento que adotam em suas vidas aqui na Terra. No entanto, para o bem deles, sempre é tempo para a esperada regeneração.

A sua grande paciência e a sua imensa capacidade em aceitar as vicissitudes da vida, ou talvez a sua determinação pela ataraxia, levaram a que os seus colegas estudantes o apelidassem de o Burro, o que ele aceitou resignadamente e até com bonomia, indicando a sua bondade e a sua simplicidade de maneiras, mesmo nos fatos mais irrelevantes da vida, como neste caso, deixando implícito “que o seu lombo era suficientemente robusto para aceitar tudo aquilo que Zenão de Cítio sobre ele quisesse lançar”. Neste caso, analogamente, eu também sou um Burro, pois que aceito em meu lombo suficientemente robusto tudo aquilo que o Astral Superior sobre ele venha a querer lançar.

Era tão querido e estimado por todos os que o rodeavam, que quando Zenão de Cítio desencarnou, ele foi de imediato escolhido para liderar a escola, passando a ocupar o lugar que era do seu mestre. Mas, mesmo assim, continuou a ganhar a vida com o trabalho das suas mãos, aliando o trabalho manual ao labor criptoscopial e intelectual. Entre os seus alunos se encontrava o seu sucessor, o veritólogo Crisipo de Sólis, e o futuro rei Antígono Gônatas, de quem aceitou uma oferta de três mil minas na sua velhice. Desencarnou quase aos cem anos de idade de uma úlcera péptica, que o obrigou a jejuar durante vários dias, mas quando os médicos lhe disseram que podia voltar a comer, decidiu continuar a abstinência, afirmando que na sua idade, tendo já feito a metade do caminho para a desencarnação, não lhe interessava repetir os passos dados. Poucos dias depois desencarnou. Escrevendo no século VI, em uma época bem posterior, Simplicius menciona que uma estátua de Cleantes de Assos, erigida pelo senado de Roma, ainda se encontrava visível em Assos.

Cleantes de Assos conseguiu perceber e captar novas concepções no campo da física estoica, desenvolvendo o Estoicismo de acordo com os princípios espiritualistas e do panteísmo. Entre os fragmentos que estão patentes das suas obras, o mais significativo é o Hino a Zeus. Escreveu cerca de cinquenta obras, das quais apenas sobreviveram alguns fragmentos e citações por outros autores, tais como Diógenes Laércio, Estobeu, Cícero, Sêneca e Plutarco. Assim, foi o veritólogo uma marcante figura no desenvolvimento da doutrina do Estoicismo, deixando uma importante conotação pessoal nas especulações da escola em matéria de Física, dando certa coerência à física estoica e introduzindo o materialismo no sentimento estoico, o que contribui para a unidade da doutrina do sentimento desta escola.

 

Continue lendo sobre o assunto:

A Cristologia

01- INTRODUÇÃO

É sabido que existe um número incalculável de humanidades que evolui por todo o Universo, encarnando em seus respectivos mundos-escolas, que as abrigam desde as primeiras encarnações como espíritos....

Leia mais »
A Cristologia

03- A VERDADEIRA UNÇÃO

A verdadeira e autêntica unção consiste na contemplação direta de Deus, cuja contemplação permite a própria comunicação com a Inteligência Universal, já que não mais existe um ser que...

Leia mais »
Romae