13.05.01.02- A Escola Itálica ou Escola Pitagórica

A Era da Sabedoria
27 de setembro de 2018 Pamam

Depois da Escola Jônica, o outro núcleo veritológico importante é constituído pela Escola Itálica, ou Escola Pitagórica, fundada por Pitágoras, quando nos fins do século VI a Veritologia se transfere da costa da Jônia para a Magna Grécia, ao sul da Itália, nome dado pelos romanos às cidades gregas do sul da Itália, e para a Sicília, tendo como ponto de partida a cidade de Crotona, formando-se um núcleo que Aristóteles denominou de Escola Itálica, cujo símbolo era o pentagrama.

Ao que tudo indica, a invasão persa na Ásia Menor provocou o deslocamento para o extremo ocidental do mundo helênico de alguns grupos jônicos, em que desta fecunda emigração surgiu a Escola Itálica. Para se obter uma melhor ideia a respeito desta escola, basta apenas a citação de Aristóteles, quando em sua Metafísica o grande saperólogo afirma o seguinte:

Os denominados pitagóricos CAPTARAM (grifo e realce meus) por vez primeiro as matemáticas e, além de desenvolvê-las, educados por elas, acreditaram que os princípios delas eram os princípios de todas as coisas. Como os números eram, por natureza, os princípios de todas as coisas… apareciam os números como primeiros em toda a natureza, pois eles pensavam que os elementos dos números eram os elementos de todas as coisas”.

Essa afirmativa de Aristóteles pode ser bem compreendida, quando neste site de A Filosofia da Administração, na categoria de A Cristologia, no tópico que trata de um dos ensinamentos de Jesus, o Cristo: Não queiras para os outros aquilo que não queres para ti; eu trato acerca da Matemática, explanando acerca da função do zero e de outros assuntos matemáticos, a partir das suas origens.

A Escola Itálica exerceu uma imensa influência no platonismo, no falso cristianismo e também nas sociedades secretas que perduraram pelo tempo até alcançarem os dias de hoje, tendo sido de fundamental importância para o desenvolvimento da matemática grega, cujo sentimento veritológico considerava que os números eram a substância primária de todas as coisas, como sendo as suas essências, pois que cada coisa era um número em sua essência.

Destaca-se a Escola Itálica como sendo uma influente corrente veritológica grega, em que preponderam Pitágoras, Filolau, Arquitas e Alcmeon, os quais tentaram introduzir a verdadeira religião no seio da nossa humanidade, sendo tal tentativa mal interpretada pelos estudiosos, os quais, ainda ignorantes acerca do papel da verdadeira religião, estando inteiramente confusos com essa tentativa autenticamente religiosa, afirmam que eles manifestam ao mesmo tempo tendências místico-religiosas e tendências científico-racionais, como se tais tendências fossem possíveis ao mesmo tempo, sendo postas apenas no âmbito da imaginação.

Mas como a Veritologia tentou se fixar inteiramente na Grécia, antes mesmo da real fixação por inteiro da Saperologia, pelo fato desta ter aquela como sendo a sua legítima fonte, com a Saperologia sendo iniciada realmente por Sócrates, daí a sua denominação dada pelos estudiosos de Filosofia Pré-socrática, em razão da mescla que sempre existiu entre ambas, pelo fato de ninguém haver sabido segregar a verdade da sabedoria, em todos os tempos, a Escola Itálica, através do pitagorismo, realmente influenciou o futuro platonismo, o falso cristianismo e ainda foi invocado por sociedades secretas que atravessaram o tempo até alcançarem os dias de hoje, atingindo até ao grande Kepler, por intermédio da Matemática, como também afirmam esses estudiosos, com essa influência sendo logicamente compreendida pelo fato da Veritologia ser a fonte da Saperologia, como dito, assim como as verdadeiras religiões são as fontes das ciências, com estas últimas se ocupando diretamente das parcelas do Saber, as quais vão se destacando da Veritologia e da Saperologia à medida que os conhecimentos e as experiências vão se especializando, ou seja, tornando-se cada vez mais específicos, para que assim possam ser diretamente investigados, pesquisados e aprofundados por inteiro, em todas as suas extensões. É o grande exemplo a Matemática, esta parcela do Saber que Pitágoras deu um grande impulso no âmbito da Veritologia, para que ela depois pudesse seguir o seu próprio caminho, através da verdadeira religião e da autêntica ciência, como iremos constatar mais adiante em Euclides e Arquimedes.

Devemos, pois, ressaltar os expoentes que se destacaram nesse grupo de veritólogos, que foram os seguintes:

  • Pitágoras;
  • Filolau;
  • Arquitas;
  • Alcmeon.

 

Continue lendo sobre o assunto:

A Cristologia

01- INTRODUÇÃO

É sabido que existe um número incalculável de humanidades que evolui por todo o Universo, encarnando em seus respectivos mundos-escolas, que as abrigam desde as primeiras encarnações como espíritos....

Leia mais »
A Cristologia

03- A VERDADEIRA UNÇÃO

A verdadeira e autêntica unção consiste na contemplação direta de Deus, cuja contemplação permite a própria comunicação com a Inteligência Universal, já que não mais existe um ser que...

Leia mais »
Romae