13.05.01.02.04- Alcmeon

A Era da Sabedoria
28 de setembro de 2018 Pamam

Alcmeon encarnou no ano 510 a.C., em Crotona, o principal centro de estudo e divulgação do sentimento pitagórico, daí o fato dele ser um dos principais discípulos de Pitágoras, não se sabendo ao certo a data da sua desencarnação. Os seus principais interesses eram os conhecimentos da Medicina, da Astronomia e da Fisiologia.

Dedicado à Medicina e às investigações das verdadeiras religiões, que são próprias da natureza, e jamais sobrenaturais, revestidas de mistérios, dogmas, ritos, etc., realizou a primeira dissecação de um cadáver humano. Desenvolveu uma pesquisa acerca da origem e dos processos fisiológicos das sensações, sugerindo que os sentidos estariam ligados ao cérebro.

Segundo os escritos da época, ele foi o primeiro a relacionar o cérebro com as funções psíquicas, a psyque, ao descobrir, por dissecação, que certas vias sensoriais terminavam no encéfalo, elaborando um estudo da desarmonia como causa das enfermidades. Pode ter sido o verdadeiro descobridor das trompas de Eustáquio, além de um pioneiro da Embriologia. Concebeu a saúde como isonomia do equilíbrio, ao afirmar que o que conserva a saúde é o equilíbrio das qualidades, que se simbolizariam em Posídon, tal como se ele fosse realmente um deus.

Na mitologia grega, Posídon era considerado como sendo o deus supremo do mar, em que na mitologia romana era conhecido como Netuno. Mas isso não tem nada de mitologia, pois que Posídon era um espírito obsessor quedado no astral inferior metido a ser um deus, e como os desastres tidos como sendo naturais não têm nada de naturais, sendo causados pelos espíritos obsessores, ele passou a ser conhecido como sendo o deus dos terremotos, pois que ele, juntamente com as suas falanges, eram os seus causadores. No site pamam.com.br deverão ser mostradas essas e outras ações dos espíritos obsessores, inclusive com as suas imagens.

É atribuída a Alcmeon a seguinte frase:

Das coisas invisíveis têm clara consciência os deuses, mas a nós, enquanto humanos, nos é permitido apenas conjecturar”.

Em seus conhecimentos transmitidos sob a forma de comentários, em doxografia, principalmente através da obra de Aristóteles, destacam-se dois pontos importantes:

  1. A elaboração de uma tabela de pares de opostos, que funcionariam como princípio da natureza, o arché, empregado primeiramente por Tales de Mileto, da seguinte maneira: limitado-ilimitado, ímpar-par, unidade-pluralidade, direito-esquerdo, masculino-feminino, repouso-movimento, reto-torto, luz-sombra, bom-mau, quadrado-oblongo;
  2. Uma percepção da imortalidade da alma, por concebê-la em eterno movimento, à semelhança dos astros e dos entes divinos.

 

Continue lendo sobre o assunto:

A Cristologia

01- INTRODUÇÃO

É sabido que existe um número incalculável de humanidades que evolui por todo o Universo, encarnando em seus respectivos mundos-escolas, que as abrigam desde as primeiras encarnações como espíritos....

Leia mais »
A Cristologia

03- A VERDADEIRA UNÇÃO

A verdadeira e autêntica unção consiste na contemplação direta de Deus, cuja contemplação permite a própria comunicação com a Inteligência Universal, já que não mais existe um ser que...

Leia mais »
Romae