13.01.02- Capítulo II – Força e Matéria

A Era da Verdade
10 de abril de 2020 Pamam

É certo que Luiz de Mattos, o codificador do Racionalismo Cristão, sendo por isso considerado o veritólogo maior, o espírito da verdade, evoluía, sobremaneira, por intermédio da propriedade da Força, daí a razão pela qual ele sempre considerava que Deus era Força, assim como também a Luz, como não poderia deixar de ser. Enquanto que o explanador do Racionalismo Cristão, sendo por isso considerado o saperólogo maior, o espírito da sabedoria, que também se tornou ratiólogo, sendo por isso considerado o espírito da razão, que ainda alcançou a condição do nosso Antecristo, evoluía, sobremaneira, por intermédio da propriedade da Energia.

Mas, explanando a verdade, evolui, sobremaneira, por intermédio das três propriedades, a Força, a Energia e a Luz, embora a propriedade da Energia se faça ainda mais presente. Para uma maior compreensão por parte do estimado leitor, vamos descrever os vinte termos pelos quais os espíritos evoluem, tanto pela Veritologia, como pela Saperologia e pela Ratiologia.

Na Veritologia, a essência de Deus, o ser, é o ser religioso, com o ser vulgar sendo desconsiderado. A propriedade de Deus com a qual o ser se ocupa em primeiro plano é a Força. A manifestação que prepondera no ser é o poder. O órgão mental que caracteriza o ser é o criptoscópio. A função do órgão mental é a percepção. A finalidade do órgão mental é a captação. A atividade básica exercida pelo ser é a religião. O teor da atividade básica exercida pelo ser é o conhecimento. A forma de transmitir o teor da atividade básica exercida pelo ser é através de teorias “a priori”. A forma de aprender a atividade básica exercida pelo ser, ou a forma de evoluir, é o estudo. O local onde reside o teor da atividade básica exercida pelo ser é o espaço. A finalidade da atividade básica exercida pelo ser é a verdade. O atributo básico obtido pelo ser, no exercício da atividade básica, é a moral. A natureza do atributo básico obtido pelo ser, no exercício da atividade básica, é absoluta. A aplicação do atributo básico obtido pelo ser, no exercício da atividade básica, é individual. O elemento anterior de produção do ser, no exercício da atividade básica, é a sensibilidade. O elemento final de produção do ser, no exercício da atividade básica, é o sentimento. A forma pela qual o ser transmite o que produz é a vibração magnética. A relação entre o ser os fatos e os fenômenos é de causa. A finalidade do ser é alcançar a onipotência.

Na Saperologia, a essência de Deus, o ser, é o ser cientista, com o ser vulgar sendo desconsiderado. A propriedade de Deus com a qual o ser se ocupa em primeiro plano é a Energia. A manifestação que prepondera no ser é a ação. O órgão mental que caracteriza o ser é o intelecto. A função do órgão mental é a compreensão. A finalidade do órgão mental é a criação. A atividade básica exercida pelo ser é a ciência. O teor da atividade básica exercida pelo ser é a experiência. A forma de transmitir o teor da atividade básica exercida pelo ser é através de teorias “a posteriori”. A forma de aprender a atividade básica exercida pelo ser, ou a forma de evoluir, é o sofrimento. O local onde reside o teor da atividade básica exercida pelo ser é o tempo. A finalidade da atividade básica exercida pelo ser é a sabedoria. O atributo básico obtido pelo ser, no exercício da atividade básica, é a ética. A natureza do atributo básico obtido pelo ser, no exercício da atividade básica, é relativa. A aplicação do atributo básico obtido pelo ser, no exercício da atividade básica, é relacional. O elemento anterior de produção do ser, no exercício da atividade, é o sentido. O elemento final de produção do ser, no exercício da atividade básica, é o pensamento. A forma pela qual o ser transmite o que produz é a radiação elétrica. A relação entre o ser os fatos e os fenômenos é de efeito. A finalidade do ser é alcançar a onipresença.

O instituto de congregação entre a Veritologia e a Saperologia é o Racionalismo Cristão, de onde surge a Ratiologia, em que a essência de Deus, o ser, é o ser religiocientista, como ser vulgar sendo desconsiderado. A propriedade de Deus com a qual o ser se ocupa em primeiro plano é a Luz. A manifestação que prepondera no ser é a existência. O órgão mental que caracteriza o ser é a consciência. A função do órgão mental é de coordenação. A finalidade do órgão mental é coordenar o criptoscópio e o intelecto. A atividade básica exercida pelo ser é a religiociência. O teor da atividade básica exercida pelo ser é o Saber, por excelência. A forma de transmitir o teor da atividade básica exercida pelo ser é através de teorias. A forma de aprender a atividade básica exercida pelo ser, ou a forma de evoluir, é o raciocínio. O local onde reside o teor da atividade básica exercida pelo ser é o Universo. A finalidade da atividade básica exercida pelo ser é a razão. O atributo básica obtido pelo ser, no exercício da atividade básica, é a educação. A natureza do atributo básico obtido pelo ser, no exercício da atividade básica, é universal. A aplicação do atributo básico obtido pelo ser, no exercício da atividade básica, é espiritual. O elemento anterior de produção do ser, no exercício da atividade básica, é a amizade espiritual. O elemento final de produção do ser, no exercício da atividade básica, é o amor espiritual. A forma pela qual o ser transmite o que produz é o raio de luz. A relação entre o ser os fatos e os fenômenos é de causa e efeito. A finalidade do ser é alcançar a onisciência.

Como se pode claramente constatar, Luiz de Mattos se preocupou exclusivamente com as propriedades da Força e da Luz, já que a propriedade da Energia ficaria sob o meu encargo. Daí a razão pela qual ele se deparou em seus estudos com os conceitos de Força e Matéria, adotando-os em sua codificação do Racionalismo Cristão, em sua obra básica. Por isso, em minha explanação, cabe a mim retificar a esse erro cometido pelo grande veritólogo, pois que a matéria não existe, sendo apenas uma ilusão das ciências postas até os dias de hoje.

A prova provada de que não existe a matéria vamos encontrar nos primórdios da evolução, quando os seres saltam do Seio do Ser Total e passam a evoluir adquirindo as propriedades da Força e da Energia, quando então se tornam seres hidrogênios, passando depois a evoluir para outros seres atômicos, a seguir para os seres moleculares, e assim por diante. Somente quando adquirem o raciocínio e o livre arbítrio, tornando-se espíritos, é que os seres passam a evoluir também por intermédio da propriedade da Luz.

 

Continue lendo sobre o assunto:

A Era da Verdade

13.03- O Antecristo

Eu, Marcos Valente Serra, cognome Pamam, encarnei na cidade de Fortaleza, capital do Estado do Ceará, em quatro de março de 1953. Estudei no Colégio Cearense, dos irmãos maristas,...

Leia mais »
Romae