12- A CARÊNCIA DE SAPERÓLOGOS

A Era da Verdade
10 de março de 2020 Pamam

Quando nós nos tornamos espíritos, adquirindo o raciocínio e o livre arbítrio, passamos a formar a nossa humanidade, com todos habitando um único Mundo de Luz. Assim, nos primórdios da nossa evolução espiritual, alguns optaram por evoluir, sobremaneira, por intermédio da propriedade da Força, com o objetivo de se tornarem veritólogos, enquanto outros optaram por evoluir, sobremaneira, por intermédio da propriedade da Energia, com o objetivo de se tornarem saperólogos. Existem três formas de se evoluir, que são as seguintes:

  1. Estudo
    • Ao evoluir por intermédio da propriedade da Força, o espírito produz vibrações magnéticas que se expandem pelo espaço em busca de conhecimentos, cujas vibrações magnéticas podem captar as impressões contidas no espaço, através da percepção, decodificando-as através do raciocínio, daí a importância da moral para a inteligência, que sendo individual, possibilita ao espírito se elevar ao Espaço Superior e lá perceber e captar os conhecimentos metafísicos acerca da verdade, uma vez que o Espaço Superior é o seu repositório.
    • O estudo realizado através dos livros possibilita o aprendizado em conformidade com o teor dos escritos, caso os escritos contenham mais conhecimentos, prepondera mais as vibrações magnéticas, e caso os escritos contenham mais experiências, prepondera mais as radiações elétricas, com estas últimas estando postas logo abaixo.
  2. Sofrimento
    • Ao evoluir por intermédio da propriedade da Energia, o espírito produz radiações elétrica que se expandem pelo tempo em busca de experiência, cujas radiações elétricas podem criar as impressões contidas no tempo, através da compreensão, decodificando-as através do raciocínio, daí a importância da ética para a inteligência, que sendo relacional, possibilita ao espírito se transportar ao Tempo Futuro e lá compreender e criar as experiências físicas acerca da sabedoria, uma vez que o Tempo Futuro é o seu campo de atuação.
    • Não se deve associar o sofrimento apenas à dor, mesmo que a maioria dos sofrimentos venha a ser aparentemente doloroso, porém tudo aquilo que seja oriundo das nossa relações com os outros seres não deixa de ser sofrimento, e muitos sofrimentos são prazerosos. Como diz o ditado popular “A dor ensina a gemer”, por isso muitos dos sofrimentos são dolorosos para que os seres humanos não repitam os erros cometidos.
  3. Raciocínio
    • Tanto as vibrações magnéticas como as radiações elétricas conduzem os espíritos ao raciocínio, na busca por soluções racionais, em que eles coordenam os conhecimentos e as experiências, quando então passam a evoluir por intermédio da propriedade da Luz. É da aplicação do raciocínio que se derivam as expressões racionalismo e racional, em que dele também se extrai toda a substância assimilável que aumenta os conhecimentos e as experiências, quando então o descaso do seu uso se torna a causa principal dos erros que são cometidos neste mundo, pois que a nossa inteligência é comandada pelos nossos atributos individuais, sejam eles superiores ou inferiores, e pelos nossos atributos relacionais, sejam eles positivos ou negativos, quando então eles fazem o nosso raciocínio trabalhar para o bem ou para o mal.

Fica difícil informar com precisão qual é a quantidade maior, se a dos espíritos que optaram em evoluir, sobremaneira, por intermédio da propriedade da Força, ou se a dos espíritos que optaram em evoluir, sobremaneira, por intermédio da propriedade da Energia. De qualquer maneira, pode ser informada com certa precisão a quantidade de veritólogos que encarnaram neste mundo, que é bem maior do que a quantidade dos saperólogos que encarnaram.

Nós vimos que muitos veritólogos encarnaram antes de Sócrates, formando as escolas pré-socráticas, para que pudessem transmitir os conhecimentos percebidos e captados para os saperólogos que os sucederam. Depois deles vieram os intelectuais que formaram o período sofista, após estes vieram os verdadeiros saperólogos, nas figuras de Sócrates, Platão e Aristóteles, em que este último compilou os conhecimentos transmitidos pelos pré-socráticos, e após estes três apenas Cícero, que veio posteriormente. Após a vinda de Jesus, o Cristo, todas as grandes mentalidades que encarnaram neste mundo foram veritólogos.

Como se pode constatar claramente, é desproporcional a quantidade de veritólogos em relação a de saperólogos, pelo menos em relação aos que encarnaram neste mundo. Em A Era da Verdade, o único saperólogo autêntico que podemos destacar foi Farias Brito, que fez uma espécie de análise de todos os veritólogos dos quais tomou conhecimento, pensando que todos eram filósofos, já que a Veritologia se encontrava mesclada com a Saperologia. Vamos então proceder a um breve estudo desse saperólogo cearense no tópico a seguir.

 

Continue lendo sobre o assunto:

A Era da Verdade

13.01- A Obra Básica

Esta obra básica acerca do Racionalismo Cristão foi escrita preponderantemente sob o prisma de transmitir os conhecimentos metafísicos acerca da verdade, obviamente que com a inserção de algumas experiências...

Leia mais »
Romae