13.02.03- A pedofilia nos outros credos

Prolegômenos
17 de junho de 2018 Pamam

É até difícil de se acreditar, mas a prática da pedofilia no islamismo tem como precursor o seu próprio fundador: Maomé. Daí a disseminação da pedofilia islâmica por todos os seus sacerdotes, que se baseiam no seu chefe maior.

O Sahid al-Bukhari é um dos Kutub al-Sittah, seis das principais coleções do islã sunita. Essas tradições ditas como sendo proféticas, ou hadith, foram coletadas por Muhammad al-Bukhari, que era um persa estudioso muçulmano, depois de terem sido transmitidas oralmente por várias gerações. Os muçulmanos sunitas veem esses compêndios como sendo uma das coleções mais confiáveis do hadith, juntamente com o Sahih Muslim. Ele é também utilizado como sendo uma coleção hadith autêntica de Zaidi muçulmanos xiitas. Em alguns círculos muçulmanos, ele é considerado como sendo o mais autêntico livro depois do Alcorão. A palavra árabe Sahih traduz algo como autêntico ou correto. O Sahid al-Bukhari transmite o seguinte:

Aos seis anos de idade, a menina Aisha Bint Abu Bakr brincava no quintal, quando a sua mãe a alertou que a partir daquele momento ela estava proibida de sair ou brincar, pois estava prometida em casamento”.

E assim a criança Aisha, com apenas seis anos de idade, foi tomada como esposa por Maomé, que já contava com 51 anos de idade, cuja união foi firmada em Medina, cidade localizada ao oeste da Arábia Saudita, com ela sendo eleita a favorita do harém de Maomé, segundo os estudiosos, em função de ser a mais jovem e a única a ter se casado virgem. A controvérsia surge quanto ao momento em que Maomé estuprou a criança, se por ocasião do casamento, ou se apenas após três anos. Não se pode levar tal controvérsia em consideração para atenuar a essa prática pedófila por parte de Maomé, pois que pouca diferença existe entre uma criança de seis ou de nove anos, uma vez que as fisiologias de crianças dessas idades são parecidas, já que sequer atingiram a puberdade, a não ser quando após os nove anos em casos raros, mas, de qualquer maneira, não deixa de ser uma criança. Assim, a razão dessa espera de três anos por parte de Maomé para abusar sexualmente da criança, não teria sido em função da sua pouca idade, mas sim pelo fato dela padecer de uma doença, sendo esta a versão mais plausível por parte dos estudiosos, e tanto isto procede que, como compensação pelo tempo perdido, Maomé foi “generoso” para com a criança, permitindo que ela levasse os seus brinquedos para a sua tenda no deserto, quando então foi finalmente estuprada. Que horror!

E aqui se comprova novamente o fato de que os espíritos obsessores quedados no astral inferior se aproximam dos seres humanos fracos e tendenciosos e os intuem para as práticas das ações mais reprováveis, até que conseguem os seus intentos, quando então as suas vítimas passam a ser instrumentos dóceis às suas intenções malévolas.

Sendo fraco e tendencioso, Maomé foi uma dessas inúmeras vítimas do astral inferior. Sendo portador de várias faculdades mediúnicas, em que se destacam as mediunidades da vidência e da audição, ele passou a ser um instrumento dócil para as ações dos espíritos obsessores. Os textos relatam que Maomé e Aisha costumavam tomar banho juntos e até brincavam com as bonecas da criança, quando então passou a receber as suas “inspirações”, tais como sendo a maior parte das revelações e “verdades” fundamentais que nortearam o islamismo, os quais relatam que Maomé gostava de profetizar e divagar com a cabeça recostada ao colo de Aisha, quando então “Maomé transpirava abundantemente, enquanto ouvia sinos badalando e vozes sussurrando ao seu ouvido”.

Essa falange de espíritos obsessores, utilizando-se das faculdades mediúnicas de Maomé para comunicar aquilo que pretendiam transmitir como sendo um novo credo, assim como Jeová e a sua falange de espíritos obsessores fizeram igualmente com Abraão, posteriormente com Moisés, passou a obsedar a outros seres humanos para que seguissem tudo aquilo que o profeta dizia, dando início ao islamismo. Se os credos e as suas seitas abraâmicos não prestam, o que dizer do credo islâmico, assim como também de todos os demais credos e seitas?  Esses primórdios do credo islâmico forjaram toda a malícia degenerativa que suporta atualmente a doutrina islâmica, além da mais extrema distorção dos pensamentos positivos produzidos pelos seus fiéis.

Aiatolá Khomeini, o mundialmente famoso sacerdote muçulmano, cuja intolerância credulária é conhecida também no mundo inteiro, demonstrando toda a permissividade contida no islã, sem procurar esconder ou mesmo disfarçar a existência da pedofilia no credo islâmico, no qual sempre se destacou como sendo um dos seus mentores, já que o aiatolá é considerado sob as leis do islã xiita o mais alto dignitário na sua hierarquia credulária, tanto que assumiu o poder da nação iraniana, em um dos seus discursos assim proferiu para o mundo:

Um homem pode obter prazer sexual de uma criança tão jovem quanto um bebê, entretanto não pode ter relações sexuais. Se sodomizar ou machucar a criança será responsável por ela pelo resto da vida e, como punição, estará proibido de casar com seus familiares. Mas esta criança não será contabilizada como uma das quatro esposas permanentes. As mulheres devem casar bem antes do início da menstruação. O pai que oferecer uma filha bem jovem em casamento terá assegurado um lugar permanente no paraíso“.

Essa tremenda obsessão pedófila por que padecem os sacerdotes islâmicos é generalizada em todo o mundo pelos sacerdotes dos demais credos e seitas, por isso grande parte deles é afeita à pedofilia, abusando sexualmente de criancinhas indefesas, enquanto outros são afeitos ao homossexualismo, atacando a qualquer um que encontre pela frente, não importando se criança, jovem ou adulto, ou então afeitos aos assédios das mulheres casadas, penetrando nos lares e contaminando os seus ambientes. Todos os sacerdotes são seres humanos extremamente mentirosos, sagazes, embusteiros, cheios de malícia, de ardis, de artimanhas, e tudo o mais do gênero, em que a maior das sensualidades penetra até em seus ossos, por isso eles inventaram que a mãe biológica de Jesus, o Cristo, era virgem, contrariando assim as leis da natureza, como se o fato dela ter coabitado com José, seu esposo, tirasse toda a pureza do seu espírito, para que assim pudesse desempenhar o mais sublime de todos os papéis neste mundo: o de mãe. Ignoram esses infelizes sacerdotes que a relação sexual entre os casais é o meio proporcionado pela natureza para que assim eles possam formar as suas proles, e que o prazer sexual é uma retribuição da Providência Divina para compensar os tremendos encargos que os casais assumem quando geram os seus filhos, daí a razão pela qual o sexo somente deve ser praticado no meio familiar, mais propriamente nos recintos sagrados dos lares.

Como prova dessa perversão sexual entre os sacerdotes do islamismo, eis abaixo a imagem do Aiatolá Khomeini beijando descaradamente a boca de uma criança.

Esse paraíso a que se refere o Aiatolá Khomeini é o local de origem de Alá, o deus islâmico, e, também, de Jeová, o deus bíblico, e, também, dos seus anjos negros, que são os espíritos obsessores que integram as suas falanges. Ora, Alá, ou Allah, são as palavras utilizadas no árabe para designar o seu deus, cujas palavras possuem vários cognatos em outras línguas semíticas, tais como Elah, em aramaico, EI, em canaanita, e Elohim em hebraico. Embora o termo Alá seja bem mais conhecido no Ocidente, em face da sua utilização constante por parte dos muçulmanos para se referir ao deus do islã, ele também é utilizado pelos que falam o idioma árabe de todos os credos abraâmicos, incluindo judeus e “cristãos”, para se referir à sua divindade monoteísta. Os árabes que se julgam cristãos vêm utilizando o termo antes mesmo da fundação do credo islâmico por parte de Maomé, sendo também utilizado, mesmo sem exclusividade, por babistas, haha’ís, os que se julgam cristãos na Indonésia e em Malta, os judeus mizrahim e os sikhs da Malásia Peninsular. Tudo isso tem causado uma controvérsia que extrapola ao âmbito credulário, dirigindo-se aos âmbitos político e legal, pois que existem leis proibindo a utilização da palavra por aqueles que não são muçulmanos.

Somente aqueles que não dão trato ao raciocínio, que não possuem o senso do ridículo, que não zelam pelas suas próprias honras, podem se dispor a frequentar as igrejas, as mesquitas, os templos, ou seja lá que nome venha a ser dado para as reuniões dos cultos credulários, com esta situação se agravando por completo quando os próprios pais encaminham os seus filhos para os diversos tipos de credos e seitas, deixando-se levar pelas lábias sacerdotais, e assim, estando arrebanhados e bem encabrestados, entregam os seus filhos aos cuidados da classe sacerdotal, alheios aos perigos que os jovens estão correndo, aos perigos de todos os tipos e de todas as naturezas, além de também torná-los uns verdadeiros cretinos.

No credo islâmico, em obediência aos ensinamentos do aiatolá, os pais retiram as suas filhas das escolas para que assim elas venha a ficar impedidas de conviver com os garotos da mesma idade, ignorando completamente que a convivência entre os jovens de sexos diferentes é de fundamental importância para que eles possam se conhecer melhor, quando então vêm as simpatias de uns para com os outros, cujas situações possibilitam os namoros, os noivados e, por fim, os casamentos, por onde são constituídas as famílias, embora atualmente tudo isso venha se deteriorando, em função da promiscuidade sexual degenerativa.

Todas as nações do mundo foram postas em seus respectivos territórios em obediência ao plano de espiritualização da nossa humanidade, em que cada uma delas tem uma função específica a ser exercida no contexto mundial, cuja função deve se encontrar determinada em sua própria Constituição. As nações que se encontram espalhadas principalmente pelo Oriente Médio, que abrigam aqueles que são fiéis ao credo islâmico, são as nações mais atrasadas do mundo, espiritualmente falando, pois que todos os muçulmanos são seres humanos tremendamente avassalados pelos espíritos obsessores, por serem todos eles fracos e de evolução muito atrasada. Nesses seus avassalamentos, eles seguem rigorosamente a cartilha milenar ortodoxa ditada pelos seus mentores espirituais.

Assim, após retirarem as suas filhas das escolas, os próprios pais passam a vendê-las aos seus pretendentes, seja para conquistar um lugar no paraíso quimérico, que eles ignoram seja o astral inferior, seja em busca do dinheiro fácil. Desta maneira, sem demonstrar qualquer preocupação com a educação das próprias filhas, os pais lhes traçam de modo compulsório o caminho mais doloroso e cruel da vida. Por outro lado, como os filhos são também vítimas da mesma educação aos moldes credulários islâmicos, eles passam a dominar e a espancar as suas esposas, que além dos maridos sofrem também maus tratos por parte dos sogros, sendo por isso que elas são totalmente vulneráveis à violência e aos abusos sexuais. A situação das jovens muçulmanas é tão dramática, mas tão dramática, que quando algumas delas conseguem escapar dessa verdadeira via crucis, geralmente acabam na mais extrema pobreza, sendo compelidas a seguir pelo caminho da prostituição.

Neste mundo, os espíritos quedados no astral inferior fazem dos sacerdotes os seus maiores instrumentos, tanto para a fundação dos mais diversos tipos de credos e de seitas, como para agir no sentido de arrebanhar aos que têm inclinações para credulários, pelo que são auxiliados pelas falanges de obsessores que em plano astral inferior se consideram os mentores desses credos. Se os sacerdotes lançam mão de todos os meios escusos para arrebanhar cada vez mais credulários para as suas hostes, em plano astral inferior a situação não é diferente, com as inúmeras e inúmeras falanges lutando entre si para levar àqueles a quem obsedam para as igrejas de suas preferências.

No Ocidente, essa luta travada pela classe sacerdotal entre si, e essa luta travada pelo astral inferior entre si, é um tanto quanto moderada, quero dizer, não é tão exacerbada, ainda não causa tanto ódio. Mas no Oriente Médio a situação é bem diferente, pois que lá o astral inferior atua no sentido de exterminar aos que não são fiéis à doutrina muçulmana, pois o que eles querem, na realidade, é subjugar o mundo, agravar ainda mais o caos em que nos encontramos, para que toda a raça humana venha a se degenerar de vez, pois que com a depravação se forma o ambiente fluídico mais propício para que eles possam extinguir a vida no planeta, através de desastres, que as ciências julgam sejam naturais.

Esta é a verdadeira explicação para a formação dos grupos terroristas islâmicos, em que aqueles que são mais fracos, que mais se submetem às ações dos espíritos obsessores, passam a se tornar afins uns aos outros, servindo como instrumentos para a mesma falange obsessora. O grupo terrorista Hamas é um desses exemplos, o qual proporcionou o maior caso de pedofilia islâmica já registrado no mundo de uma única vez. Esse caso sórdido de pedofilia parece representar as profundezas dos esgotos do mundo, cujo sumidouro se encontra na cidade palestina de Gaza, em que a população é composta por muçulmanos sunitas, onde o grupo terrorista Hamas patrocina os afamados casamentos coletivos, que são devidamente amparados pelas leis islâmicas, cujos casamentos envolvem criancinhas de até 4 anos de idade, com o grupo terrorista Hamas custeando uma cerimônia de casamento em massa para 500 casais, em que a maioria dos “noivos” tinha mais de 30 anos de idade, e as criancinhas tinham todas menos de 8 anos de idade. Eis abaixo a prova desse crime monstruoso.

Os “noivos” trajavam ternos pretos idênticos, que haviam sido doados pelos administradores de Jabalia, cidade localizada a 4km da cidade de Gaza, que contém o maior campo de refugiados palestinos da Faixa de Gaza, tendo ainda recebido cada um a importância de 500 dólares, como presente do grupo Hamas. E mais: nessas ocasiões é comum os homens estuprarem as meninas antes da cerimônia, pois que isso se encontra também amparado pelas leis islâmicas, embora o fato não venha a se constituir em qualquer agravante, pois que o crime de pedofilia não se altera de nenhum modo, pois que tais casamentos são postos rigorosamente contra as leis da natureza.

Abu Mazen, presidente da autoridade palestina e líder do grupo Hamas, assim como outras autoridades muçulmanas, foram pessoalmente cumprimentar os casais que fizeram parte da cerimônia, que antes havia sido cuidadosamente planejada. Essa patifaria não deixa de ser um ato terrorista, pois que a sua intenção era abalar o mundo e, ao mesmo tempo, lançar um desafio aos bons costumes humanos, quando assim se pronunciou:

Nós estamos felizes em dizer ao mundo que não podem nos negar a alegria e a felicidade”.

A mulher somente deve contrair matrimônio após os 18 anos de idade, quando o seu corpo carnal já se encontra plenamente desenvolvido, portanto, apto para coabitar com o marido e procriar, sendo antes dessa idade um crime contra a natureza humana feminina.

Por isso, de acordo com o relatório do The Pulitzer Center on Crisis Reporting, quando as meninas que são submetidas aos casamentos precoces são forçadas a engravidar de imediato, a maioria dessas jovens mães e os seus bebês vão a óbito. As esposas púberes são propensas às obstruções durante o parto, pois os seus corpos ainda não se encontram desenvolvidos. Além disso, as próprias estatísticas comprovam que a cada ano milhares de meninas muçulmanas desencarnam em função de complicações durante e após o parto. E mais: as dilacerações vaginais, as rupturas internas e os transtornos de personalidade fazem parte da vida cotidiana das crianças que conseguem sobreviver aos pedófilos muçulmanos.

Eu vou mostrar no site pamam.com.br, para toda a nossa humanidade, as imagens reais e verdadeiras dos espíritos quedados no astral inferior agindo em todos os setores da vida, imagens estas obtidas por órgãos mundiais idôneos e acima de quaisquer suspeitas, em razão dos seres humanos se encontrarem ainda na fase da imaginação. Os seres humanos somente sabem raciocinar através das representações por imagens, combinando-as. Também no site pamam.com.br, eu vou proceder a um diagnóstico realístico do mundo, para que assim todos possam constatar que na face da Terra se encontram os espíritos encarnados, como que ao léu neste mundo, vivendo por viver, ignorando completamente que em sua atmosfera, que é a aura terrena, encontram-se os espíritos obsessores, agindo intensamente com a intenção malévola de extinguir a vida no planeta. Se somos alguns bilhões de espíritos encarnados, do mesmo modo são também alguns bilhões de espíritos desencarnados decaídos na atmosfera do planeta.

No entanto, aqui mesmo neste tópico, aproveitando o conflito exacerbado que existe entre palestinos e judeus, além de boa parte dos seus sacerdotes serem pedófilos, por obra e graça dos espíritos inferiores, o conflito também é gerado por obra e graça desses espíritos.

Assim como os palestinos e os judeus guerreiam entre si, as falanges que dominam a ambos os credos guerreiam do mesmo modo. Essa guerra é de natureza astral, mais propriamente entre as falanges do astral inferior, que manobram os seus instrumentos encarnados para venham a se destruir uns aos outros. Tudo isso é prova do quanto os credos e as suas seitas são prejudiciais à nossa humanidade. Por isso, enquanto os seres humanos não se conscientizarem de que o verdadeiro Deus se encontra em nós mesmos, de que todos nós somos partículas da Essência do Ser Total, e que evoluímos para adquirir as Suas Propriedades da Força, da Energia e da Luz, enquanto não houver essa consciência, a imaginação andará à solta, sendo propícia para que os espíritos obsessores venham a agir para semear o mal por todo o orbe terrestre, pois que o mal é fruto da ignorância, como assim afirmou Jesus, o Cristo.

Já no budismo, a prática da pedofilia é mais restrita aos países do Oriente, onde existe uma maior quantidade dos seus sacerdotes, já que nos países do Ocidente a quantidade de sacerdotes budistas é praticamente irrelevante.

Em 2013, em Chiang Mai, ao norte da Tailândia, a polícia local informou que dois monges budistas foram detidos pelo crime de cumplicidade no abuso sexual de um menor cometido pelo seu superior em um templo budista. Os dois monges, acusados de entregar um jovem de 14 anos ao seu superior, negam que estivessem a par das más intenções do superior, informou à AFP Wirachon Bunthawile, o coronel de polícia de Chiang Mai, informando também que “O superior está no templo e estamos esperando um mandado para prendê-lo”. O novo escândalo aconteceu apenas um dia após a divulgação de um vídeo, no qual três monges budistas foram vistos em um jato privado com objetos de marcas de luxo, o que indignou a opinião pública. Nos últimos meses desse ano, a imprensa já havia revelado o envolvimento de monges budistas em casos de drogas, embriaguez, apostas e prostituição.

Quando o ser humano desencarna, tal como espírito, ele tem apenas dois caminhos a seguir: caso ele produza sentimentos superiores, sendo afeito à moral, e pensamentos positivos, sendo afeito à ética, portanto, sendo um espírito educado, ele, de imediato, é transladado para o Mundo de Luz que lhe é próprio, em que lá se depara com a verdadeira espiritualidade; e caso ele produza sentimentos inferiores, não sendo afeito à moral, e pensamentos negativos, não sendo afeito à ética, portanto, sendo um espírito mal educado, ele fica quedado no astral inferior, em função do seu corpo fluídico se encontrar materializado, escuro, pesado, por isso ele fica preso à atmosfera da Terra, que é a sua aura.

Note-se aqui que os espíritos conservam os seus mesmos sentimentos inferiores e os seus mesmos pensamentos negativos que produziam antes de desencarnarem e ficarem quedado no astral inferior, pois que levaram consigo os mesmos estados psíquicos de que eram detentores quando se encontravam encarnados. Porém, ao tomarem conhecimento das suas condições de desencarnados, vendo-se preso na atmosfera terrena, as suas companhias astrais inferiores serão aquelas que mais têm afinidades para com eles. Se eram políticos ou funcionários públicos corruptos, estes serão as suas companhias. Se eram sacerdotes das hostes católicas, incluindo-se os papas, estes serão as suas companhias. Se eram sacerdotes das hostes protestantes, em conformidade com a seita, estes serão as suas companhias. Se eram ladrões, assaltantes, arrombadores, estes serão as suas companhias. Se eram traficantes de drogas ilícitas, estes serão as suas companhias. Se eram metidos a caridosos para mostrar uma imagem caridosa, estes serão as suas companhias. E assim por diante.

Os seus estados psíquicos, então, vão estar em conformidade com os estados psíquicos das falanges obsessoras das quais eles passam a fazer parte, sempre obedientes aos chefes das falanges às quais passam a pertencer, que podem ser denominados de rei, de imperador, de sultão, ou seja lá que denominação queiram adotar, cujas falanges são tão numerosas que chegam até a construir cidades e fortalezas, tudo isso com os fluidos materializados provenientes do conjunto de sentimentos inferiores e de pensamentos negativos produzidos tanto pelos encarnados como pelos desencarnados, que formam o ambiente trevoso da atmosfera terrena.

Alguns desses espíritos decaídos no astral inferior formam as falanges que tomam conta dos centros espíritas kardecistas. Existem realmente muitos espíritas kardecistas que são bem intencionados, pelo fato de não serem sacerdotes, mas eles não conseguem atentar para o fato de que o credo espírita fundado por Hippolyte Léon Denizard Rivail,  mais conhecido no mundo como Allan Kardec, tendo sido intuído por espíritos dessa natureza, decaídos no astral inferior, assume totalmente o papel de crença, pelo fato do seu fundador ter descambado para o âmbito do sobrenatural, com a sua doutrina sendo bíblica, tendo como a sua base de adoração o espírito que quando encarnado se chamava Jeová, o deus bíblico, o mesmo deus do catolicismo, das suas seitas protestantes e de outros credos e seitas, por isso os espíritas também se dizem cristãos, e em suas sessões fazem sempre as suas preces e citam passagens bíblicas, pelo fato do credo espírita ser também bíblico, contaminando ainda mais a atmosfera da Terra.

Os dirigentes espíritas não são sacerdotes, assim como também os seus mentores espirituais que se encontram quedados no astral inferior, daí a razão pela qual dificilmente pode existir casos de pedofilia no credo espírita. Além do mais, eles precisam de muita concentração nas suas sessões espíritas, formando uma corrente para que os espíritos obsessores possam atuar nos seus médiuns, comunicando aquilo que mais lhes apraz, em relação à espiritualidade. Esses espíritos obsessores, por serem detentores de alguma evolução espiritual, não possuem tendências para a pedofilia. Além do mais, caso as crianças frequentassem as suas sessões, irrequietas e ativas como são, prejudicariam as concentrações nesses seus trabalhos.

Esses espíritos obsessores realmente são mais evoluídos dos que os demais espíritos obsessores, embora todos se encontrem decaídos no astral inferior. Em função disso, quando os espíritas se referem aos espíritos obsessores, eles estão se referindo aos espíritos que são ainda mais obsessores em relação aos quais eles trabalham, por isso todas as suas comunicações são de naturezas sobrenaturalísticas.

Estando obsedados, os credulários espíritas acreditam em tudo aquilo que esses espíritos obsessores manifestam em suas sessões mediúnicas, não sabendo diferenciar quais são os espíritos que se encontram no Astral Superior e quais são os espíritos que se encontram no astral inferior, uma vez que os seus corpos fluídicos se encontram impregnados pelos fluidos que são espargidos pelas falanges que monitoram as suas casas espíritas.

Aquele que quiser se aprofundar um pouco mais acerca do espiritismo kardecista, recomendo que se disponha a ler a obra de Luiz de Mattos intitulada de Cartas Oportunas Sobre Espiritismo, quando então poderá se esclarecer acerca dos erros e equívocos em que incorrem todos os credulários espíritas.

A prática do espiritismo encontra a sua maior degradação nos terreiros de umbanda, atingindo o ápice dessa sua degradação nos terreiros de quimbanda, pois que os famosos pais de santo sempre trabalham nessas duas linhas, cujos espíritos obsessores são da mesma laia, por isso eles são similares aos sacerdotes, só que estes são mais sofisticados.

Aí, lá para as bandas dos orixás, dos oguns, dos pretos velhos, dos caboclos, dos tranca-ruas, dos urubatãs, das pombas-gírias, dos exus, dos xangôs, que não existe nada disso, sendo tudo isso uma tremenda farsa, os espíritos obsessores não se contentam apenas com a pedofilia, eles também induzem aos seus instrumentos encarnados a fazer sacrifícios humanos, até a devorar as suas vítimas, como sendo um atavismo psíquico decorrente do canibalismo.

Eu julgo já ser suficiente esta explanação acerca da pedofilia praticada pela classe sacerdotal. Por isso, sem me desviar muito do assunto, vou encerrá-lo com o dizer de Vanderlúcio Souza, Blogs O POVO, datado de 25 de agosto de 2013, que sob o título Cresce Número de Mortes em Rituais de Magia Negra, vem relatar o seguinte:

Um olhar mais atento aos noticiários policiais percebe que aumentou a notificação de crimes em rituais de magia negra. Há casos, em que em pleno século XXI, a vítima dos sacrifícios não são comidas ou animais, mas gente.

Em Fortaleza, um adolescente de 15 anos foi encontrado morto em terreiro de macumba. Estava com os pés amarrados e marcas de violência no corpo. 

Youtube http://www.youtube.com/watch?v=ovtJuD3mo7Y[/youtube]

Em Marabá, no Pará, um ritual de bruxaria com uma criança foi interceptado pela polícia. O Pai de Santo foi preso na hora.

Youtube http://www.youtube.com/watch?v=Rosu8s_03PU[/youtube]

A história da criança de apenas dois anos que teve dezenas de agulhas enfiadas em seu corpo ainda é viva na lembrança de muitos. A barbaridade foi feita pelo padrasto em um ritual de magia negra.

Youtube http://www.youtube.com/watch?v=OmgcP4Pz4Eo[/youtube]

Em maio deste ano a comerciante Edilma Dantas de Souza, de 41 anos, que morava em Natal (RN) foi entorpecida e estrangulada até a morte em um ritual macabro.  Na ocasião, a delegacia especializada em capturas informou que investigava, além do caso da comerciante, outros 3 casos de morte em rituais de magia negra.

João macumbeiro, assassino da mulher, confessou o motivo do crime: “Ele (outro macumbeiro) me disse que depois desse ritual eu ia ter mais força na macumba para fazer trabalhos de umbanda e que eu estaria protegido. Ele disse que a gente jamais seria pêgo porque ‘Lúcifer’ ia nos proteger com a capa dele e que minha vida ia mudar muito depois do ritual”.

 

Continue lendo sobre o assunto:

Romae