12.01.01.05- Como se domina a imaginação?

Prolegômenos
7 de junho de 2018 Pamam

A imaginação é uma fase do processo evolutivo espiritual por que passam normalmente todas as humanidades, sem que haja uma única exceção. É pelo estudo, o sofrimento e o raciocínio que o espírito se esclarece e alcança maior evolução, como assim deve constar nas vibrações através do magnetismo, que se encontram na propriedade da Força, nas radiações através da eletricidade, que se encontram na propriedade da Energia, e nas radiovibrações através do eletromagnetismo, que se encontram nas combinações de ambas as propriedades, as quais os autênticos racionalistas cristãos devem realizar diretamente a Deus e ao Astral Superior, nas sessões que se fazem nas casas racionalistas cristãs, assim como também nos lares, que é um banho de fluidos revitalizadores e de luz astral, sem qualquer intermediação, diariamente, nas horas determinadas, sendo uma limpeza psíquica tão necessária para o corpo mental do ser humano como a própria limpeza com água e sabão que se realiza diariamente no corpo carnal, através do banho, com os elementos próprios que existem no ambiente terreno, com este último sendo recomendado duas vezes ao dia, para a higienização completa.

Para que a imaginação possa ser dominada por completo, faz-se necessário que o ser humano se esclareça acerca da espiritualidade. E o único modo do ser humano se esclarecer acerca da espiritualidade é estudando, se possível diariamente, para que assim possa investigar os conhecimentos metafísicos acerca da verdade, que se encontram transmitidos através das obras racionalistas cristãs, cujo conjunto forma uma doutrina reveladora da verdade. Após o estudo e a investigação de toda a doutrina, deve ser procedido o estudo e a pesquisa de todas as experiências físicas acerca da sabedoria que lhe dizem respeito, e que se encontram transmitidas através das minhas obras explanatórias a respeito do Racionalismo Cristão, tanto as contidas neste site que trata a respeito de A Filosofia da Administração, como as contidas no site pamam.com.br, em que neste se encontram distribuídas racionalmente segundo os campos a que se destinam, com a primeira se destinando aos Prolegômenos, a segunda ao Método, a terceira ao Sistema e a quarta à Finalidade, para que assim ele seja devidamente completado, atendendo aos requisitos impostos pela sabedoria, ou pela Saperologia.

Assim, poderá constatar, clara e plenamente, que todos os requisitos exigidos pela racionalidade se encontram totalmente preenchidos, sem que haja uma única contradição sequer em todas essas obras esclarecedoras.  Tendo apreendido tudo isso em seu corpo mental, o ser humano poderá conceber a realidade da existência eterna e universal, quando então poderá substituir a imaginação, que reproduz as imagens acerca da irrealidade, combinando-as, pela concepção, que possibilita as formulações de ideias acerca da realidade, associando-as, constatando a colossal diferença que existe entre uma e outra.

Estando constatada a colossal diferença que existe entre a imaginação e a concepção, poderá então ser capaz de perceber e compreender mais racionalmente, com a mais pura lógica, fazendo vir a luz à consciência e formar uma ideia precisa acerca das naturezas distintas dos tratados superiores que tratam acerca do Universo, tornando-se consciente de que a Veritologia é o tratado da verdade, de que a Saperologia é o tratado da sabedoria e de que a Ratiologia é o tratado da razão, com esta última coordenando aos outros dois tratados, para que assim possa haver uma união, uma irmanação, uma congregação, entre os tratados coordenados.

Tomando a consciência devida acerca desses três tratados superiores e formulando uma ideia precisa ao seu respeito, o ser humano poderá constatar plenamente que os segredos da vida e os enigmas do Universo se encontram totalmente desvendados e revelados através deles, o que implica na constatação da existência do Saber, por excelência, em todos os seus principais fundamentos, os quais retratam com fidedignidade toda a realidade da nossa existência eterna, comprovando que ela deve ser realmente universal, obrigada e necessariamente universal, e não restrita a este mundo, já que este mundo também faz parte integrante do Universo.

Na espiritualidade não existe qualquer privilégio, e muito menos qualquer indicação para que o espírito progrida e ascenda ao estágio evolutivo seguinte, pois tudo aquilo que se conquista no processo da evolução é o resultado de uma tremenda luta e de um imenso esforço desprendido pelo espírito por alcançar um estágio evolutivo sempre superior ao estágio evolutivo em que ele no presente se encontra. Nesses anseios próprios da espiritualidade, alguns conseguem progredir de uma tal maneira que se tornam veritólogos, em que um consegue se destacar de todos os demais, como sendo o veritólogo maior; enquanto outros conseguem progredir de uma tal maneira que se tornam saperólogos, em que um consegue se destacar de todos os demais, como sendo o saperólogo maior.

Nesse contexto espiritualista, os dois maiores assumem toda a responsabilidade pelos seus respectivos tratados, com eles mesmos se obrigando a si próprios a serem os seus representantes aqui na Terra. Luiz de Mattos, que é o doutrinador e fundador do Racionalismo Cristão, tendo alcançado a condição do veritólogo maior, passou a representar o espírito da verdade aqui neste planeta. Pamam, que sou eu, o explanador do Racionalismo Cristão, tendo alcançado a condição do saperólogo maior, passo a representar o espírito da sabedoria aqui neste mundo-escola. Porém, a verdade tem que se unir à sabedoria, para que assim possa ser alcançada a razão. Em sendo assim, obrigatoriamente assim, cabe a mim proceder a essa união e adentrar com a verdade e a sabedoria no âmbito da razão, passando também a representar o espírito da razão, em todo o orbe terrestre.

Luiz de Mattos encarna demostrando amplamente ser o detentor de uma moral praticamente absoluta, afirmando que o ser humano deve manter os pés na Terra e a mente no espaço, para que assim não possa ser contaminado com os miasmas deletérios contidos no ambiente terreno, dando o primeiro e gigantesco passo para a universalização da nossa humanidade. E realmente, confirmando esse seu dizer, eleva-se em sentimento ao Espaço Superior, e lá consegue captar os principais conhecimentos metafísicos acerca da verdade, através da percepção oriunda do seu fabuloso criptoscópio, e os decodifica a todos, transmitindo-os com a inserção da sua própria sabedoria, demonstrando também possuir um intelecto bastante desenvolvido, com isso dando início a uma nova e verdadeira saperologia, que não deve ser confundida com a própria Saperologia. É, pois, a saperologia do Racionalismo Cristão, a qual muitos denominam de filosofia do Racionalismo Cristão, que o veritólogo maior estabelece a verdade neste mundo por intermédio da fundação de um instituto, com este recebendo a denominação própria e acertada de Racionalismo Cristão, pois que se refere ao racionalismo de Jesus, o Cristo, que representa a Grande Causa da nossa humanidade.

Luiz de Mattos, o veritólogo maior, também denominado de espírito da verdade, em sua missão espiritualizadora aqui neste mundo Terra, concebeu que a realidade tinha que ser espiritual, necessária e obrigatoriamente espiritual, tendo por base a verdade, e que ela jamais poderia ser material ou sobrenatural, já que estas têm por por base a mentira, a qual representa o oposto da verdade, pois que a mentira é proveniente da imaginação humana, uma vez que se encontra posto no tópico anterior que a insinceridade é o ponto em que se apoia a imaginação da nossa humanidade, e a insinceridade é o modo pelo qual geralmente se revela a mentira, salvo nos casos em que ocorrem os erros de inteligência.

Sendo Luiz de Mattos um instrumento do Astral Superior, o qual comandava praticamente todas as suas ações, ou o seu representante na Terra, não se tornou assim tão difícil demolir com todos os edifícios sociais que haviam sido construídos aqui neste planeta, uma vez que todos eles tiveram as suas construções tendo como base a imaginação, sendo, portanto, tudo imaginário, cujas imagens refletiam o caos e a mundanidade na vida de todos os seres humanos. Assim, bastaria apenas a dinamite da verdade para que todas essas imagens ruíssem por terra, vindo tudo abaixo, ficando apenas os escombros.

Tendo cumprido a essa sua missão espiritualizadora, Luiz de Mattos retornou para o seu Mundo de Luz, deixando todo este mundo completamente em ruínas, restando apenas os escombros, com todos os seres humanos vivendo em um verdadeiro caos, mas, em compensação, com a bandeira do Racionalismo Cristão fincada em terreno sólido, firme, fecundo, hasteada no chão e erguida vigorosamente ao espaço sideral, até alcançar as mais elevadas alturas, no Espaço Superior, estando ela desfraldada sob a vista de todos, mas poucos, muito poucos, conseguiram erguer as suas visões e enxergá-la, uma vez que ela não se encontrava exposta às ilusões e aos devaneios da imaginação.

Eu também encarnei nessa mesma época em que encarnou Luiz de Mattos, com o nome de Ruy Barbosa, pois a nossa vinda juntos a este mundo se fez necessária, em obediência ao plano de espiritualização elaborado para a nossa humanidade. Assim, enquanto ele tratava da sua parte veritológica, eu tratava da minha parte intelectual, ainda não saperológica, apenas científica. Tratando da minha intelectualidade, eu tinha que demonstrar por todos os meios lícitos tanto a minha inteligência como a minha coragem, dois dos três requisitos básicos exigidos para que pudesse me tornar na próxima encarnação, nesta atual como Pamam, o super-homem de Confúcio, o qual foi uma das encarnações anteriores de Jesus, o Cristo, requisitos básicos esses conhecidos por qualquer estudioso.

Mas a minha inteligência e a minha coragem teriam que ser certificadas por quem de direito, assim como também pelos meios e processos aceitáveis e incontestáveis pela opinião pública, situada no âmbito intelectivo a partir da qualquer mentalidade mediana, para que assim não viesse a prosperar a menor dúvida, pois que os medíocres são renitentes e afeitos à ilusão da matéria e ao devaneio do sobrenatural.

Assim, a minha inteligência teria que ser certificada diretamente por Luiz de Mattos, com ele realmente o fazendo, ao afirmar em seus escritos que eu era a maior mentalidade das Américas, sendo ele obviamente a outra grande mentalidade do mundo, mas para além-mar, do Velho Mundo, já que ele era português. E que português! O primeiro grande português. Mas além da minha inteligência, ele teria que certificar também tanto o meu patriotismo como a minha posição no contexto da nação brasileira, já que cabe ao Brasil o relevante papel de espiritualizar toda a nossa humanidade, com ele igualmente o fazendo, ao afirmar em seus escritos que eu era o primeiro grande brasileiro.

Como Ruy Barbosa a minha inteligência ainda hoje é reconhecida por todos os brasileiros que possuem alguma cultura, posto que o meu próprio nome se tornou algo como se fosse sinônimo de inteligência. E para que não reste a menor dúvida em relação ao fato desta minha posição de primeiro grande brasileiro, afirmada por Luiz de Mattos, foi ela nesta época atual em que vivemos, portanto, recentemente, devidamente ratificada por brasileiros considerados como sendo notáveis, através de pesquisas realizadas por duas revistas de renomes reconhecidos por todos e de circulações nacionais.

Já a minha coragem foi devidamente certificada por Luiz de Souza, por Olga B. C. de Almeida e pelo notável brasileiro e grande estadista da nossa pátria chamado Pinheiro Machado, tendo sido certificada também justamente por este último em razão dele haver me conhecido muito de perto.

Estando, pois, certicadas a minha inteligência e a minha coragem, faltaria apenas certificar a minha boa vontade, para que assim eu pudesse me tornar realmente o super-homem de Confúcio. Mas quem vai certificar a minha boa vontade será a minha própria humanidade, após analisar com a devida atenção a primeira parte do método que empreguei para me tornar um saperólogo, contida no site pamam.com.br, para que assim os seres humanos tomem a devida consciência do que ela, a própria boa vontade, representa para os seres humanos, pois que vou exigir a mesma coisa de todos os meus semelhantes, não em tão larga extensão que venha a atingir aos seus limites extremos, mas o suficiente para que todos eles se espiritualizem. Com relação à minha posição de primeiro grande brasileiro, ela é apenas um adendo no contexto do fabuloso plano de espiritualização da nossa humanidade, que ora chega aos seu final.

E assim, quando na minha encarnação passada como Ruy Barbosa, eu pude preparar com esmero esta minha outra encarnação como Pamam naquilo que me dizia respeito, naquilo que era da minha competência, em que esta minha encarnação neste mundo será a última no decorrer dos próximos 4.000 anos; enquanto os veritólogos racionalistas cristãos, por outro lado, preparavam também o meu retorno a este mundo naquilo que lhes dizia respeito, naquilo que era das suas competências. Tudo isso para que eu pudesse explanar o Racionalismo Cristão, demonstrando experimentalmente a existência do preceito da reencarnação, entre outras demonstrações experimentais que se fizeram necessárias no âmbito da espiritualidade, sendo as primeiras experiências dirigidas ao contexto científico, e as demais ao contexto saperológico.

Outros veritólogos encarnaram neste mundo e passaram a seguir Luiz de Mattos, em cumprimento das suas missões, tornando-se racionalistas cristãos, sendo todos eles detentores da mais elevada moral, mas de  uma moral tão elevada que os demais seres humanos jamais poderiam imaginar. Eles então procederam da mesma maneira que o veritólogo maior procedeu, elevaram-se ao Espaço Superior e captaram ainda mais conhecimentos metafísicos acerca da verdade, por intermédio das percepções oriundas dos seus fabulosos criptoscópios, transmitindo-os da mesma forma. Todos esses conhecimentos metafísicos foram consolidados e passaram a formar um conjunto, o qual recebeu a denominação de doutrina, a doutrina racionalista cristã.

Após a fundação do Racionalismo Cristão através de Luiz de Mattos, muitos espíritos de boa formação moral passaram a encarnar neste mundo com a missão precípua de militarem na doutrina, com alguns até escrevendo as suas próprias obras, mas o objetivo maior era dar continuidade à obra gigantesca de Luiz de Mattos, para que ela não pudesse sofrer a solução de continuidade, por isso ela foi consolidada pelo inquebrantável Antônio Cottas, o maior admirador de Luiz de Mattos de todos os tempos.

Fica assim demonstrada a razão pela qual existe um número tão reduzido de militantes no Racionalismo Cristão, uma vez que a sua militância somente pode ser exercida por aqueles que desenvolveram em larga extensão o seu criptoscópio, reunindo as condições morais necessárias para que possam perceber a verdade, por isso tanto os que se utilizam somente da moral utilitária como os intelectuais passam ao largo das casas racionalistas cristãs, e até muitos dos que eram militantes se afastaram após algum tempo, por não terem sabido resistir aos apelos do ambiente terreno e às investidas do astral inferior. E assim, até hoje, encontra-se o Racionalismo Cristão ainda em sua forma de doutrina.

Então, em 04 de março de 1953, eu reencarnei neste mundo, trazendo do meu Mundo de Luz uma árdua e dificílima missão a ser cumprida, juntamente com os meus ideais a serem fixados na face do planeta Terra. Nesta minha árdua missão neste mundo, eu teria que realizar determinadas experiências científicas jamais concebidas por qualquer ser humano, e muito menos imaginadas, posto que todas elas se situavam rigorosamente no âmbito espiritual, algo que os demais cientistas jamais ousaram realizar tais experiências em prol das ciências, pois que consideram a espiritualidade inverificável, uma vez que não conseguem encontrar um método preciso para a sua verificabilidade.

Para que nenhum ser humano venha a duvidar da realidade destas minhas experiências científicas, eu deixei permanecer estrategicamente em minha alma alguns atributos individuais inferiores que faltavam ainda sopitar para que eu pudesse completar de vez toda a minha moral, e assim eu mergulhei fundo de cabeça neste mar de lama infecta que existe no ambiente terreno, passando a me utilizar profundamente dos atributos relacionais positivos que formavam a minha ética, pois que esta já se encontrava completa desde quando havia encarnado como Ruy Barbosa. A realidade de tudo isso se encontra nas palavras do próprio  Luiz de Mattos, que expôs à tona todos os meus atributos individuais inferiores, tendo afirmado ainda que todos iriam ver um fraco se tornar um forte. Assim, eu teria que demonstrar experimentalmente no contexto científico que o Racionalismo Cristão era o único meio através do qual se podia debelar os atributos individuais inferiores e se adquirir a verdadeira moral, para que o espírito viesse a se tornar verdadeiramente um forte, possibilitando a que ele reúna as condições necessárias para se elevar ao Espaço Superior. E exatamente assim eu procedi. Debelei os meus atributos individuais inferiores, completei a minha a moral racionalista cristã, que é a verdadeira, a legítima, por ser completamente diferente da moral utilitária, e me tornei um forte. O próximo passo a seguir seria me tornar um saperólogo e depois um ratiólogo, ou um ser universal, o que também o fiz.

E aqui, antes de continuar, cabe uma devida explicação em relação ao fato de eu haver deixado estrategicamente em minha alma alguns atributos individuais inferiores que faltavam para que eu pudesse completar toda a minha moral, para que somente depois pudesse debelá-los, sopitando-os, e assim poder adquirir a moral racionalista cristã, a verdadeira, estando ela agora completada em minha alma.

O preceito da evolução é o preceito maior que existe no Universo, por isso a evolução pode ser considerada como sendo a razão de tudo. No processo evolutivo, nós podemos lançar mão de tudo para que possamos evoluir, assim como também podemos até ocultar aquilo que julgamos seja necessário ocultar, por pura conveniência do espírito, para que com essa ocultação se possa debelar ou desenvolver outros atributos com maior precisão. Luiz de Souza, em sua obra A Felicidade Existe, a página 76, confirma plenamente esse meu dizer, fazendo-o da seguinte maneira:

Há numerosas pessoas que têm apreciável cabedal de conhecimentos adquiridos nas milhares de existências terrenas, mas que estão ocultos, não revelados, em estado latente, por conveniência do espírito, para que sejam obrigados a viver à custa do trabalho manual, e aí colham as experiências imprescindíveis (grifo meu)”.

Tendo passado de cientista a saperólogo, lançando mão da minha ética que eu sempre conservei cá comigo, estando ela completa desde a minha encarnação passada como Ruy Barbosa, transportei-me ao Tempo Futuro, para que assim pudesse pesquisar as experiências físicas acerca da sabedoria, as quais deveriam corresponder exatamente aos conhecimentos metafísicos acerca da verdade que haviam sido transmitidos pela doutrina racionalista cristã. Tendo assim comprovado a verdadeira e legítima correspondência entre os conhecimentos metafísicos acerca da verdade captados do Espaço Superior e as experiências físicas acerca da sabedoria criadas do Tempo Futuro, eu pude então certificar a verdade contida no Racionalismo Cristão. A certificação da verdade, pois, cabe à sabedoria, e não às ciências, que são as suas filhas, para não dizer que são as suas subordinadas.

Como saperólogo, tendo já sopitado os meus atibutos individuais inferiores, eu assim tornei completa a minha moral, a moral verdadeiramente racionalista cristã, para que então pudesse realizar a minha última experiência saperológica, que consistia em me elevar ao Espaço Superior e comprovar experimentalmente a possibilidade do espírito a ele se elevar e lá perceber e captar os conhecimentos metafísicos acerca da verdade, assim como fizeram Luiz de Mattos e os seus seguidores, o que o fiz, comprovando in loco tal possibilidade.

Ora, estando elevado ao Espaço Superior e, ao mesmo tempo, estando transportado ao Tempo Futuro, eu me encontrava completamente fora do ambiente terreno, havendo penetrado no Universo, onde em cada uma das coordenadas fornecidas pelo Espaço Superior e pelo Tempo Futuro eu poderia saber a razão da existência eterna e universal. E assim, cada uma das coordenadas do Universo passou a ser o meu posto de observação, onde ainda hoje eu fico ora em um, ora em outro, de onde eu posso contemplar o verdadeiro Saber, portanto, a razão da existência do Universo, inclusive do planeta Terra. Foi desta maneira que eu pude contemplar toda a exuberância que existe no Saber, por excelência. Mas tudo isso através da minha luz astral, que coordena os meus sentimentos postos no Espaço Superior e os meus pensamentos postos no Tempo Futuro. Daí a razão pela qual eu sou realmente o super-homem de Confúcio, uma vez que não sou tão néscio e materializado como o super-homem inventado pela imaginação humana, que além de néscio ainda é extremamente covarde, e também por demais vingativo, como vou demonstrar sem qualquer sombra de dúvida, pois que esse tal super-homem não passa de uma simples obra da imaginação humana.

Tendo feito das coordenadas do Universo os meus postos de observações, eu pude contemplar com a minha luz astral a existência de uma corrente quase infindável de humanidades, tendo de um lado aquelas já espiritualizadas, as quais nós seguimos na esteira evolutiva universal, e, de outro, aquelas ainda não espiritualizadas, que nos seguem nessa mesma esteira evolutiva universal, com todas elas seguindo o mesmo ritmo de evolução, pois que esse ritmo foi determinado por Deus. E assim, eu pude conceber e formular uma ideia precisa acerca da razão da existência do instituto do Cristo, do qual o Racionalismo Cristão é o seu embrião, que deverá ser devidamente explanado quando eu tratar a respeito da Cristologia, em sua categoria específica.

Deslocando-me constantemente em cada um dos postos de observação nas coordenadas do Universo, eu passei a observar atentamente o planeta Terra com a minha luz astral, tendo concebido a posição exata em que me encontrava no contexto da minha humanidade. E aquilo que eu observei me deixou deveras perplexo, bastante espantado, quase que atônito, pois que estava a contemplar os escombros que Luiz de Mattos havia deixado no planeta, com a nossa amada humanidade vivendo nesses escombros, entre ruínas, mas ao mesmo tempo eu estava feliz, porque carregava em minhas mãos a bandeira do Racionalismo Cristão, que não mais se encontrava hasteada e tremulando somente no Espaço Superior, mas também no Tempo Futuro, sendo ele agora um instituto universal.

Sim, todos os edifícios sociais que Luiz de Mattos explodiu com a dinamite da verdade, teriam que ser reconstruídos sobre novas bases, sobre dois eixos-diretores, com um deles sendo a verdade e o outro sendo a sabedoria, cujo equilíbrio seria de responsabilidade da razão, tendo como ponto de partida o Racionalismo Cristão. E tudo isso somente poderia ser possível com a organização de Deus perante toda a nossa humanidade, uma vez que é do Criador onde tudo parte, e é para o Criador onde tudo retorna, em que nessa trajetória evolutiva entre o ponto de partida e o ponto de retorno se encontra o Saber, por excelência.

Tendo concebido o Saber, por excelência, e apreendido os seus conhecimentos metafisicos acerca da verdade e as suas experiências físicas acerca da sabedoria em meu corpo mental, eu passei a investigar e a pesquisar todas as ciências terrrenas, foi quando então eu pude constatar o quão Luiz de Mattos estava correto em relação a elas, pois todas se encontravam incididas no erro da imaginação, atoladas no maior dos materialismos, com a comunidade científica às tontas, sem que existisse uma doutrina própria, um sistema correspondente e uma finalidade que correspondessem aos seus experimentos. Então, eu teria que formular um sistema para a doutrina do Racionalismo Cristão e estabelecer as suas finalidades, tudo isso com base no Saber, por excelência, de âmbito universal.

Estando, pois, constatada a existência do Saber, por excelência, os seres humanos teriam como corolário a existência das parcelas do Saber, que assim poderiam ser deduzidas e induzidas facilmente pelas religiões e pelas ciências, respectivamente, já que ambas teriam os seus correspondentes tratados superiores para se reportarem. Senão vejamos: a Veritologia trata dos conhecimentos metafísicos acerca da verdade, formando um corpo de doutrina; a Saperologia trata das experiências físicas acerca da sabedoria, formando um corpo de sistema correspondente à doutrina da verdade; e a Ratiologia coordena a ambos os tratados, formando o Saber, por excelência, inferindo e estabelecendo as finalidades a serem alcançadas.

O Saber, por excelência, deve ser agora dividido em parcelas do Saber, como as seguintes: Cosmogonia, Astronomia, Física, Química, Biologia, Matemática, Direito, Economia, História, Sociologia, Administração Publica, Administração de Empresas, Antropologia, e muitas outras. Todas estas parcelas do Saber têm que ter por base para os seus estudos o Saber, por excelência, que deve fornecer todos os principais fundamentos que deverão servir como ponto de partida ou como princípio para todas elas, formando as suas bases, os quais se encontram apenas no Racionalismo Cristão, após a sua devida explanação.

Cada parcela do Saber deve ser dividida em consonância com os seus respectivos tratados superiores. A Veritologia dá como resultado as religiões, a Saperologia dá como resultado as ciências e a Ratiologia dá como resultado as religiociências.

Os seres humanos que conseguiram desenvolver em larga extensão os seus criptoscópios, são aqueles considerados como sendo os verdadeiros religiosos, por isso eles devem se esforçar por se elevar ao Espaço Superior, e aqui, onde eu me encontro, utilizarem-se das suas percepções para que possam captar os conhecimentos metafísicos acerca das parcelas do Saber com as quais se ocupam e para as quais trouxeram as suas vocações e os seus talentos dos seus Mundos de Luz, formando um corpo de doutrina para cada uma delas, para que sirvam de fontes para as ciências. A aquisição da moral racionalista cristã é imprescindível para esse labor, por ser a moral verdadeira.

Os seres humanos que conseguiram desenvolver em larga extensão os seus intelectos, são aqueles considerados como sendo os verdadeiros cientistas, por isso eles devem se esforçar por se transportar ao Tempo Futuro, e aqui, onde eu também me encontro, utilizarem-se das suas compreensões para que possam criar as experiências físicas acerca da sabedoria correspondentes aos conhecimentos metafísicos acerca da verdade transmitidos pelos religiosos acerca das parcelas do Saber com as quais se ocupam, e para as quais trouxeram as suas vocações e os seus talentos dos seus Mundos de Luz, estabelecendo os sistemas para as suas doutrinas e para as parcelas do Saber, que devem ser científicos. A aquisição da ética racionalista cristã é imprescindível para esse labor, por ser a ética verdadeira.

Os seres humanos que conseguiram desenvolver em larga extensão tanto os seus criptoscópios como os seus intelectos são considerados como sendo os verdadeiros religiocientistas, por isso eles devem se esforçar por se elevar ao Espaço Superior e se transportar ao Tempo Futuro, simultaneamente, e aqui, onde realmente eu me encontro por total, só que em coordenadas bem mais distantes, em função da minha luz astral ser superior, tendo eu que ser sincero e revelar esta realidade, embora um tanto quanto constrangido; utilizarem-se das suas percepções e das suas compreensões para que possam captar os conhecimentos metafísicos acerca da verdade e criar as experiências físicas acerca da sabedoria correspondentes acerca das parcelas do Saber com as quais se ocupam, e para as quais trouxeram as suas vocações e os seus talentos dos seus Mundos de Luz, estabelecendo as suas doutrinas, os seus sistemas e inferindo as suas finalidades, que devem ser religiocientíficas. A aquisição da moral e da ética racionalistas cristãs são imprescindíveis para esse labor, por serem a moral e a ética verdadeiras, as que realmente tornam o espírito verdadeiramente educado.

Tudo isso deve ser trabalhado e procedido pari passo com os meus ideais, que deverei deixar fixados na face da Terra. É assim, e somente assim, que um novo edifício social poderá ser construído neste mundo, com a nação brasileira dando o primeiro e gigantesco passo para a sua construção, no que deverá ser seguida pelas demais nações, até que todas elas, em conjunto, possam se unir em prol destes meus ideais, quando então os seres humanos formarão uma só nação, um Estado Mundial, em que a produção da amizade espiritual deverá ser a tônica de todos os seres humanos, preponderando em todos os recantos deste planeta, por conseguinte, a solidariedade fraternal, estando assim a nossa amada humanidade se preparando para produzir o amor espiritual. Quando tudo isso estiver consolidado, eu então retornarei para onde fui e promoverei uma outra revolução neste mundo, haja visto que a produção do amor espiritual é bem superior do que a produção da amizade espiritual, com tudo isso devendo ocorrer em um intervalo de tempo aproximado em 4.000 anos.

Em relação ao fato da imaginação criar o sobrenatural, eu nada posso fazer a respeito, pois se Luiz de Mattos demoliu com ele se utilizando da dinamite da verdade, não será a sabedoria quem irá construir qualquer edifício social com base naquilo que não existe, mas sim naquilo que existe, e o que realmente existe é o natural, que retrata com perfeição toda a natureza. Ora, o nada não existe, assim como o sobrenatural também não existe, então o nada e o sobrenatural são idênticos, ou seja, inexistentes.

Quando os seres humanos puderem apreender tudo isso em suas almas, estarão formando as suas concepções acerca da realidade da vida, de onde poderão formular as suas ideias a respeito da existência eterna e universal. A imaginação dá como resultado as imagens acerca da irrealidade da vida, enquanto que a concepção dá como resultado as ideias acerca da realidade da existência. Assim, a imaginação somente pode ser dominada por intermédio da concepção, ou seja, somente se domina a irrealidade com a própria realidade.

 

Continue lendo sobre o assunto:

Prolegômenos

12.02- A concepção

Geralmente aqueles que mais se destacam dos demais procuram transmitir de alguma maneira aquilo que julgam haver concebido em seus corpos mentais, geralmente através das suas obras postas em...

Leia mais »
Prolegômenos

12.02.01- A ideia

De início, a ideia é confundida com a imagem daquilo que as coisas, os fatos e os fenômenos da natureza formam no corpo mental do ser humano, por intermédio...

Leia mais »
Prolegômenos

12.03- A teoria do ser

O ser pode ser considerado como sendo o verbo de ligação que serve para afirmar a existência dos atributos adquiridos pelos seres no exercício das suas atividades básicas, para...

Leia mais »
Romae