06- OS PRINCIPAIS ENSINAMENTOS E AFORISMOS DE JESUS, O CRISTO

A Cristologia
17 de outubro de 2018 Pamam

Em razão do domínio pleno que Jesus, o Cristo, tinha acerca tanto da Veritologia como da Saperologia, tendo ingressado profundamente nos domínios da Ratiologia, sem que tenhamos a mínima noção de todo o seu saber, podemos, de qualquer maneira, considerar que ele praticamente era o senhor absoluto do Saber, por excelência, pois se ele conseguiu contemplar diretamente a Deus, chamando-O de Pai, é de se indagar: o que mais ele poderia contemplar no Universo, se o próprio Universo se encontra contido em Deus?

Além do mais, não devemos esquecer que ele habita ao Mundo de Luz puríssima, que se encontra na 33ª classe, o mais evoluído de todos os Mundos de Luz, que se situa na última coordenada universal, assim considerada de baixo para cima, quer dizer, a que mais próxima se encontra em retorno para Deus. Neste caso, todas as coordenadas universais por que passou se encontram representadas no seu corpo fluídico. Deste modo, devemos considerar que grande parte do Universo se encontra contida no seu corpo fluídico, ao qual ele penetra com a sua luz astral, advinda do seu corpo de luz.

No entanto, ele não poderia perder o seu precioso tempo em se ocupar diretamente da Veritologia ou mesmo da Saperologia, e muito menos das parcelas do Saber, através das religiões e das ciências, apenas da Ratiologia, mas sem especificá-la, pois que o seu objetivo maior era estabelecer o instituto do Cristo no seio da nossa humanidade, através do seu racionalismo, com vistas ao amor espiritual, para que no futuro pudesse ser fundado o instituto do Racionalismo Cristão, que o foi realmente, por intermédio de Luiz de Mattos, para que assim a doutrina da verdade pudesse finalmente imperar no seio deste nosso mundo-escola,

Jesus, o Cristo, sabia de antemão, em razão da sua imensa clarividência, que deveria ser por intermédio da explanação do Racionalismo Cristão que deveria surgir o Antecristo da nossa humanidade, o nosso futuro Cristo, assim como ele surgiu como sendo o Antecristo da sua própria humanidade, e que o Antecristo deveria ser o responsável pela continuidade do instituto do Cristo, ao se deslocar para a humanidade que nos segue na esteira evolutiva do Universo e a ela se integrar, formulando um plano para a sua espiritualização, agindo intensamente no sentido da sua consecução, alcançando enfim a condição evolutiva do Cristo, quando então nessa humanidade deveria ser estabelecido o instituto do Cristo, e, após, a fundação do seu Racionalismo Cristão por um dos seus dois expoentes, enquanto o outro expoente se encarregaria de explaná-lo, alcançando lá a condição do seu Antecristo, dando assim continuidade ao instituto do Cristo.

É certo que a sabedoria já havia sido estabelecida no seio deste nosso mundo-escola em sua Grande Era específica, antes da encarnação de Jesus, o Cristo, mas todos nós éramos completamente ignorantes a respeito dos conhecimentos metafísicos acerca da verdade, pelo menos até o advento do Racionalismo Cristão, fundado em 1910, por Luiz de Mattos. Por isso, todos os seus ensinamentos e todos os seus aforismos passaram ao largo da nossa inteligência, inclusive da de Luiz de Mattos e da minha, quando encarnado como Ruy Barbosa, posto que eu ainda não era espiritualizado.

Por isso, eu tive que assumir o pesado encargo de reencarnar como sendo o explanador do Racionalismo Cristão, da doutrina da verdade, cuja explanação se encontra em sua íntegra neste site de A Filosofia da Administração, tendo a sua continuidade no site pamam.com.br, alcançando plenamente os tratados superiores da Veritologia, da Saperologia e da Ratiologia, por conseguinte, a condição do nosso Antecristo, para que assim, e somente assim, pudesse fazer eco na compreensão humana tudo aquilo que diz respeito à nossa evolução espiritual e a existência do instituto do Cristo, para que depois todos pudessem ter acesso ao verdadeiro teor dos seus ensinamentos e dos seus aforismas, sendo explanados os principais, já que os restantes poderão ser facilmente deduzidos pelos espíritos mais esclarecidos, inclusive após esta explanação de A Filosofia da Administração.

Vale aqui lembrar que cabe ao nosso Antecristo estabelecer neste nosso mundo-escola a amizade espiritual, fazendo emergir a solidariedade fraternal. E que cabe ao nosso Cristo estabelecer neste nosso mundo-escola o amor espiritual, mas apenas no futuro, quando a amizade espiritual estiver realmente solidificada entre todos os seres humanos, tendo sido já formado um Estado Mundial.

Por isso, todos os seres humanos que pertencem à nossa humanidade deverão primeiramente ser antecristãos, produzindo a amizade espiritual em direção aos seus semelhantes neste nosso mundo-escola, através dos seus raios de luz, com todos devendo ser solidários uns para com os outros, de um modo fraterno, já que somos todos irmãos uns dos outros, até que ela venha a se encontrar totalmente consolidada entre todos, quando então o nosso Antecristo deverá retornar da humanidade que nos segue na esteira evolutiva do Universo, para a qual se deslocou e se integrou, quando, já na condição do nosso Cristo, deverá ser estabelecido o amor espiritual neste nosso mundo-escola, com todos podendo realmente ser considerados como sendo cristãos, de fato e de direito.

 

Continue lendo sobre o assunto:

Romae