05.01.07- Crítica ao modelo da Administração Científica

A Adm. de Empresas
3 de setembro de 2020 Pamam

O modelo da Administração Científica, mesmo apresentando inúmeras vantagens sobre o modelo até então adotado, ainda apresentou alguns problemas, uma vez que nada é perfeito neste mundo, já que os temas a serem abordados são inúmeros, obviamente que nem todos foram abordados.

Primeiramente, o modelo ignorava as necessidades dos trabalhadores, além do contexto social, gerando choques e conflitos, às vezes violentos, entre administradores e trabalhadores. Como consequência, os trabalhadores passaram a se sentir explorados, pois perceberam que esse tipo de administração trazia como suporte uma técnica para fazer o operário trabalhar cada vez mais e ganhar relativamente menos, embora tenham tido ganhos de salários.

Outra crítica ao modelo é a de que ele transformou o homem em uma máquina. O operário passou a ser tratado como uma engrenagem do sistema produtivo, passivo e desencorajado a tomar iniciativas, já que os gerentes não ouviam as ideias dos funcionários subalternos, uma vez que estes eram considerados como sendo desinformados, em que as tarefas a serem desempenhadas eram todas fornecidas previamente, por intermédio do estudo dos tempos e movimentos.

Além disso, o modelo não tratava os indivíduos de per si, mas sim como componentes de um só grupo, não reconhecendo a variação entre eles, gerando descontentamento por parte dos trabalhadores. Essa padronização do trabalho era mais uma intensificação do próprio trabalho do que uma forma de racionalização do trabalho do operário.

 

Continue lendo sobre o assunto:

Romae