05.01.04- A organização racional do trabalho da Administração Científica

A Adm. de Empresas
2 de setembro de 2020 Pamam

A organização racional do trabalho da Administração Científica tinha como objetivo a eliminação de movimentos inúteis na realização das tarefas, para que assim os trabalhadores viessem a executar de forma mais simples e rápida as suas funções, minimizando o tempo gasto e aumentando a qualidade, tornando a produção mais eficiente. Nessa organização racional do trabalho, foram levados em consideração os seguintes quesitos:

  1. Estudo da fadiga humana, já que a fadiga diminui da produtividade do trabalhador e a perda de qualidade, causando acidentes, doenças e o aumento da rotatividade do pessoal;
  2. Divisão do trabalho e especialização do trabalhador;
  3. Estudo dos tempos e movimentos através do estudo do trabalho, com cada trabalhador se especializando e desenvolvendo as atividades em que mais tenham aptidões;
  4. Desenho dos cargos e tarefas, em que desenhar os cargos é especificar o conteúdo de tarefas que requerem uma função, orientando como executar e as relações com os demais cargos;
  5. Incentivos salariais e prêmios por produtividade;
  6. Aprimoramento das condições de trabalho, proporcionando conforto aos trabalhadores e melhorando o ambiente físico, embora não visasse especificamente o bem-estar dos trabalhadores, mas sim porque haveria ganho de produtividade;
  7. Padronização das tarefas através da aplicação de métodos científicos, a fim de se obter uma uniformização de todas as tarefas e a redução dos custos;
  8. Supervisão dos funcionários por vários supervisores especializados, e não por uma autoridade centralizada;
  9. Motivação por recompensas salariais, econômicas e materiais.

As empresas eram consideradas como sendo um sistema fechado, mantendo poucas entradas e saídas com relação ao ambiente externo, em que essas poucas entradas e saídas não eram bem conhecidas, com as suas relações de causa e efeito sendo indeterminadas.

Contudo, as empresas são consideradas como sendo um sistema aberto, já que a estrutura de sistemas abertos é formada pela interação e intercâmbio da organização com o ambiente externo, pois de acordo com as mudanças deste ambiente, a organização se adapta para sobreviver mudando os seus produtos, técnicas e estruturas. A interação e o intercâmbio da organização com o ambiente externo moldam a estrutura dos sistemas abertos, já que quando ocorre uma mudança no ambiente externo, a organização se transforma mudando os seus produtos, técnicas e estruturas para se adaptar melhor a essas mudanças e sobreviver.

Em 1918, uma organização de pesquisa denominada de Masaryk Academy of Labour, ou seja, Academia de Trabalho Masaryk, foi fundada em Praga para estudar essa questão.

 

Continue lendo sobre o assunto:

Romae