04.01.08- A teoria motivacional aplicada ao trabalho

A Adm. de Empresas
15 de julho de 2020 Pamam

Quando todos os seres humanos forem esclarecidos acerca da vida espiritual, poderão constatar claramente que aqui neste nosso mundo-escola se deve partir do princípio de que o trabalho é um preceito universal, pois que o Universo é uma oficina de trabalho, por isso ele se impõe a todos pela necessidade de obviar as intempéries, a fim de que todos vençam as dificuldades que se apresentam no dia a dia, para que então possam suprir as suas necessidades, minimizando os sofrimentos e sobrepujando nas lutas, dominando os elementos adversos e aprendendo a agir em conformidade com as circunstâncias, com o trabalho se caracterizando como sendo o corretivo para todos os males que assediam a nossa humanidade, pois que é através dele que todos os seres humanos irão encontrar o bálsamo sagrado para curar todas as suas chagas, o lenitivo para todas as suas dores.

É pelo trabalho digno que os seres humanos realizam a sua evolução espiritual, pois somente por intermédio desse preceito universal podem caminhar pela estrada do progresso, rumo à perfeição. Todos nós somos diferentes uns dos outros, mas o que é mais importante é que devemos cultivar os nossos atributos individuais superiores, que formam a nossa moral, assim como os atributos relacionais positivos, que formam a nossa ética, para que então possamos nos tornar educados, já que os atributos comandam os nossos órgãos mentais, que são o criptoscópio, que tem a função de perceber e a finalidade de captar conhecimentos, o intelecto, que tem a função de compreender e a finalidade de criar experiências, e a consciência, que tem a função de coordenação e a finalidade de coordenar o criptoscópio e o intelecto.

Assim, cultivando os atributos, os seres humanos partem em busca do progresso, com uns sendo mais graduados do que os outros, o que se explica pelo esforço empregado no decorrer do processo da evolução, e essa graduação existe nos agrupamentos que formam os ambientes de trabalho, sendo certo que o espírito submisso ao princípio da perfectibilidade, perlustra a todas essas estações de progresso no decorrer das suas várias existências corpóreas.

O espírito vem do seu Mundo de Luz à Terra para trabalhar, como trabalhando se encontrava no seu Mundo de Luz, mas aqui na Terra as lutas e as dificuldades são maiores, as quais ele tem que vencer para adquirir cada vez mais valor. Então o trabalho pode ser considerado como uma dádiva espiritual , por isso precisa ser desempenhado com alegria, com o ser humano se esforçando ao máximo por produzir cada vez mais e melhor, espelhando-se nos grandes homens que fizeram a história da nossa humanidade, que sempre foram grandes trabalhadores. Aqueles que não desempenham com esforço o seu trabalho, passam para a retaguarda na caminhada da vida, juntando-se ao grupo dos retrógrados.

Como afirma a grande educadora Olga B. C. de Almeida, o trabalho jamais pode se configurar como sendo um castigo, caracterizando-se como sendo a alegria de colocar cada um o melhor de si mesmo no esforço de se expressar através dele, pelo que se pode também afirmar:

  1. Todo trabalhador deve amar o trabalho e ter orgulho dele;
  2. A beleza do trabalho, qualquer que seja ele, está principalmente na maneira de fazê-lo;
  3. Não interessa apenas fazer de qualquer jeito, o que vale mesmo é fazer bem feito;
  4. Quem não aprende ou não se esforça por fazer bem feito o trabalho, nunca se apegará a ele;
  5. A busca da perfeição no trabalho dá muita satisfação, porque representa a melhor recompensa ao trabalhador;
  6. Para fazer bem feito o trabalho, o ser humano terá que lutar contra o cansaço e contra o desânimo, que às vezes aparecem de repente, dando vontade até de parar;
  7. Executar o trabalho de qualquer maneira é fácil, o difícil é ir até o fim e ver alcançados os resultados, frutos do esforço que os acompanham;
  8. O mérito do trabalho consiste em dar tudo o que se pode;
  9. A cooperação no trabalho revela a educação do trabalhador;
  10. O bom trabalhador nunca se maldiz do trabalho que executa, por mais pesado que seja o ambiente em que labuta.

Quando os seres humanos forem esclarecidos espiritualmente, sendo cientes de tudo isso, eles se motivarão para o trabalho, pois serão sabedores de que o progresso espiritual se encontra exatamente naquilo que traduz os seus desempenhos na labuta do dia a dia, quando então a motivação alcançará um cunho espiritual, e não material, já que todos se esforçarão por progredir espiritualmente, encontrando no trabalho a ferramenta ideal para os seus progressos, embora os incentivos monetários e psicológicos devam continuar a existir.

Mas como a nossa humanidade ainda não se encontra espiritualizada, os cientistas chegaram à conclusão de que a motivação é a energia que desperta e mantém os esforços até conseguirmos atingir a um determinado objetivo, com ela se diferenciando em função das situações diversas que o indivíduo vivencia, como no ambiente escolar, de trabalho, do lar, dentre outras.

De acordo com Bergamini, os incentivos monetários e de bens materiais satisfazem apenas no instante em que ocorre a premiação, mas a satisfação das necessidades psicológicas é que realmente incentivam aos trabalhadores a atingirem maiores desempenhos e de forma duradoura.

Os estudiosos do assunto afirmam que existem determinados pontos que precisam ser analisados para que se possa compreender as reais motivações dos indivíduos, quais sejam:

  1. A empresa precisa entender por qual motivo o funcionário se candidatou para aquela vaga e naquela empresa;
  2. O departamento de recursos humanos deve promover não apenas os treinamentos, mas também os recursos para que os supervisores consigam sempre manter os seus liderados motivados;
  3. O fato de que as saídas e as demissões de funcionários, são também uma forma inteligente de receber feedbacks e poder compreender as diferentes maneiras de motivar os funcionários.

 

Continue lendo sobre o assunto:

Romae