04.01.07- A motivação em publicidade

A Adm. de Empresas
14 de julho de 2020 Pamam

Deve-se antes saber que a publicidade é uma atividade profissional dedicada à difusão de empresas, produtos ou serviços, pelo que se pode qualificar como sendo uma propaganda comercial. É através da divulgação de produtos, serviços e ideias junto ao público, que se alcança o objetivo de induzi-lo a uma atitude dinâmica favorável. Nesse sentido geral, a publicidade é parte da técnica de comunicação, mas em sentido estrito tem um caráter comercial, sendo então parte de um todo que se denomina de mercadologia, que engloba o conjunto de meios adotados para levar o produto ou serviço ao consumidor, caracterizando-se como sendo qualquer forma paga de apresentação não pessoal e promoção de bens, serviços e ideias por um patrocinador identificado a uma audiência alvo através dos meios de comunicação social. A publicidade ajuda a identificar o significado e o papel dos produtos e serviços, fornecendo informações sobre marcas, companhias e organizações.

Para a maior parte dos gestores e profissionais de marketing, a publicidade ajuda a vender um produto e constrói a reputação de uma marca ou de uma empresa. De acordo com Victor Palandi, autor do livro Copywriting Descomplicado, “a comunicação persuasiva é parte essencial do sucesso nas vendas”. A publicidade, então, pode ser considerada como sendo um termo que pode englobar diversas áreas do conhecimento que envolvam essa difusão comercial de produtos e serviços, em especial atividades como o planejamento, criação, produção e veiculação de peças publicitárias. A história da publicidade pode ser narrada desde a antiguidade, porém, foi após a Revolução Francesa, em 1789, que a publicidade iniciou a trajetória que a levaria até o seu estágio atual de importância e desenvolvimento.

Na psicologia da publicidade e do consumo, a pirâmide de Maslow, vista anteriormente, gira em torno de oito desejos básicos em que se concentra o consumo. Porém, os desejos durante toda a vida são específicos para cada faixa etária, sendo eles os motivos para se trabalhar, ganhar dinheiro e consumir. A motivação dirigida para a satisfação de um desejo primário é universal. Mas o número de anúncios que apelam para as necessidades secundárias como qualidade, vantagem, economia e prestígio é muito maior. Na motivação da publicidade, o consumidor é motivado para o seguinte:

  • Consumir alimentação e bebidas;
  • Conforto, casa e vestuário;
  • Liberação de ameaça e perigos;
  • Necessidade de ser superior, de possuir status;
  • Atração ao sexo oposto;
  • Bem-estar da família;
  • Consideração social;
  • Vida longa e saúde.

PARA QUE USAR A MOTIVAÇÃO NA PUBLICIDADE

Deve-se partir do princípio de que a função básica da publicidade, mesmo que a propaganda venha a ser institucional, é a seguinte: vender!

A compreensão das motivações dos clientes dá ao publicitário os argumentos para que a persuasão venha a ser mais eficiente.

Saber aquilo que o seu alvo deseja e ambiciona, bem como o que o motiva a efetivar a compra, facilita o trabalho, já que é a forma que permite que a argumentação venha a ser mais eficiente e que renda mais, não apenas para que satisfaçam as necessidades básicas, mas que satisfaçam aos desejos do cliente.

Conhecendo as motivações do consumidor, torna-se possível criar peças que vendam a imagem dos produtos e serviços de uma forma que o indivíduo venha a criar um vínculo, por conseguinte, um desejo em relação a esses produtos e serviços.

 

Continue lendo sobre o assunto:

Romae