01- SOBRE A ERA DA VERDADE

A Era da Verdade
9 de novembro de 2018 Pamam

É sabido que quando o Antecristo da humanidade que seguimos na esteira evolutiva do Universo se integrou à nossa humanidade, ele formulou um plano para a nossa espiritualização. Em seguida, passou a agir intensamente com o objetivo da consecução desse plano, tendo que encarnar várias vezes neste nosso mundo-escola, assim como encarnou como Hermes, no Egito, como Krishna, na Índia, como Confúcio, na China, e como Platão, na Grécia.

Após essas várias encarnações, ele estava evoluído o suficiente para assumir finalmente a condição do Cristo, quando então encarnou por último como Jesus. Ao assumir a condição do Cristo, encarnando como Jesus, ele reuniu as condições evolutivas tão elevadas que era o suficiente para poder tirar do seu próprio espírito tudo aquilo que pudesse se referir a Deus.

A explicação para isso é que ele como espírito era uma partícula da Essência de Deus, um ser do Ser Total, e que a sua alma havia evoluído aos mais elevados patamares, adquirindo praticamente todas as parcelas possíveis das Propriedades de Deus que um ser humano pode almejar adquirir, que são a Força, a Energia e a Luz, pois que as Substâncias de Deus são divididas em Essência e Propriedades. Assim, como ele tinha todas essas substâncias, que eram comuns ao Criador, é óbvio que poderia tirar de si mesmo tudo aquilo que se referia a Deus. E em tirando de si mesmo tudo aquilo que se referia a Deus, ele pôde então estabelecer a diferença entre a criatura que era, e o Criador, chamando-O de Pai. Assim, estava pronto para estabelecer o instituto do Cristo em nossa humanidade, em obediência às determinações do Instituidor, que é o próprio Deus. Daí a razão pela qual ele afirmou que havia sido enviado pelo Pai.

Dado o seu elevadíssimo estágio evolutivo que um espírito pode alcançar como ser humano, tudo indica que ele tinha contato direto com Deus, ou com o Pai, como assim O chamava. Nessa condição, ele pôde então identificar os dois expoentes da nossa humanidade, os quais deveriam agir diretamente no sentido de estabelecer o racionalismo do Cristo em nosso meio.

O primeiro deveria ser um veritólogo, o espírito encarregado de perceber e captar os conhecimentos metafísicos acerca da verdade, elevando-se ao Espaço Superior, utilizando-se da sua elevadíssima moral, e transmiti-la no seio da nossa humanidade, fundando ao mesmo tempo o Racionalismo Cristão, assumindo, posteriormente, a condição do ajudador, do Espírito Santo.

O segundo deveria ser um cientista, que depois deveria assumir a condição de saperólogo, posteriormente a de ratiólogo, o espírito encarregado de compreender e criar a sabedoria do Tempo Futuro, utilizando-se da sua ética, e explanar a verdade no seio da nossa humanidade, tendo ao mesmo tempo que unir, irmanar, congregar, a verdade e a sabedoria, e com ambas ingressar no âmbito da razão, assumindo, posteriormente, a condição do Antecristo, tal como Jesus, o Cristo, havia assumido anteriormente em sua própria humanidade.

Assim, com a encarnação do Antecristo da humanidade que seguimos na esteira evolutiva do Universo como Hermes, no Egito, há quatro mil anos atrás, deu-se início em nossa humanidade a uma Grande Era, denominada de A Era da Sabedoria. Com a encarnação desse espírito como Jesus, o Cristo, na Palestina, há dois mil anos atrás, ele decretou o final de A Era da Sabedoria e estabeleceu o início em nossa humanidade de uma nova Grande Era, denominada de A Era da Verdade. A denominação dessas Grandes Eras de A Era da Sabedoria e de A Era da Verdade são também plenamente aceitas, pois em nada muda a conotação em relação aos seus tratados.

Todos são cientes de que Jesus, o Cristo, afirmou que somente a verdade poderia livrar a nossa humanidade das garras da ignorância e levá-la ao cumprimento do dever. Isto implica em dizer que a verdade ainda não estava estabelecida no seio da nossa humanidade, tendo que ser envidado os maiores esforços dos seres humanos que alcançaram à condição de veritólogos nesse sentido. Por isso, encarnaram diversos veritólogos na tentativa de alcançar a esse desiderato. É óbvio que todos eles fracassaram, mas deixaram gravadas neste mundo as suas obras, onde se encontram os retratos das suas almas, em que nelas se encontram as várias saperologias que refletem todos os esforços desses espíritos evoluídos para alcançar a verdade. A todas essas saperologias, que os estudiosos denominam de filosofias, nós iremos explanar no decorrer desta A Era da Veritologia, que se encontra em seu final.

Somente ao final de A Era da Verdade, com a encarnação de Luiz de Mattos, o veritólogo maior, foi que a verdade pôde ser finalmente estabelecida na face da Terra, podendo, então, ser fundado o Racionalismo Cristão, tendo o veritólogo maior transmitido os conhecimentos metafísicos acerca da verdade em sua maior parte, a essencial. Assim, outros veritólogos, os seus seguidores, puderam então encarnar para estender a esses conhecimentos metafísicos acerca da verdade, alargando os horizontes do Racionalismo Cristão, até então como doutrina, para que assim o Antecristo pudesse encarnar com a missão de explaná-lo, incorporando a essa doutrina outros conhecimentos metafísicos acerca da verdade e as experiências físicas acerca da sabedoria, como neste site que trata de A Filosofia da Administração, além de incorporar o método, o sistema e a finalidade, para logo em seguida fixar os seus ideais no planeta Terra, este mundo-escola ainda muito carente de uma maior evolução espiritual, conforme deverá constar no site pamam.com.br.

Na época atual, com a explanação do Racionalismo Cristão, estando unidas, irmanadas, congregadas, a verdade e a sabedoria, tendo alcançado a condição do Antecristo da nossa humanidade, eu vim decretar o final de A Era da Verdade e estabelecer o início de uma nova Grande Era, denominada de A Era da Razão, ou de A Era da Ratiologia, com ambas as denominações sendo plenamente aceitas, pois já foi dito que em nada muda em relação ao seu tratado. Assim, esta nova Grande Era terá o seu início com a vinda do Antecristo, que é o grande responsável por explanar o Racionalismo Cristão, e de posse da verdade e da sabedoria adentrar no âmbito da razão, para que todos os seres humanos se esclareçam e se espiritualizem.

Mas apenas isso não basta para que todos os seres humanos ingressem nesta nova Grande Era que ora se inicia. É preciso também que o Antecristo fixe os seus ideais neste mundo, os quais deverão perdurar por cerca de quatro mil anos, quando toda a nossa humanidade poderá se tornar antecristã nesse período. Esse tempo foi previamente calculado em plano astral para que o Antecristo se desligue da nossa humanidade e se integre à outra humanidade que nos segue na esteira evolutiva do Universo, para que lá possa elaborar um plano de espiritualização para essa humanidade, tendo que encarnar várias vezes em seu mundo-escola, para que assim possa estabelecer de vez a esse plano de espiritualização e também alcançar a condição do Cristo, quando então poderá estabelecer o instituto do Cristo nessa humanidade, ao que tudo indica em contato direto com Deus. Assim, o nosso Antecristo, ao alcançar nessa humanidade a condição do Cristo, poderá identificar os seus dois expoentes para que ambos possam estabelecer de vez o Racionalismo Cristão no mundo-escola em que encarnam.

Enquanto isso, Luiz de Mattos, o ajudador, o Espírito Santo, deverá passar os quatro mil anos desta Grande Era agindo intensamente no sentido de estabelecer os ideais do Antecristo, antes por ele fixados, em toda a nossa humanidade, no que será ajudado pelos espíritos de luz que integram a plêiade do Astral Superior, com tudo isso estando em estrita obediência a um plano previamente elaborado em plano astral, para que todos os seres humanos sejam antecristãos, que é o estágio preparatório para que no futuro possam se tornar realmente cristãos.

Isso implica em dizer que o plano formulado para a nossa espiritualização pelo Antecristo da humanidade que seguimos na esteira evolutiva do Universo, que depois alcançou a condição do Cristo, quando encarnou como Jesus, foi coroado de pleno êxito, com a encarnação atual do Antecristo da nossa humanidade, tendo agora se encerrado por completo esse plano de espiritualização, para que todos os seres humanos possam agora seguir a um novo plano, o qual foi por nós mesmos formulado em plano astral, para que todos possam se tornar antecristãos, estando todos já esclarecidos acerca da espiritualidade, e então possam cumprir com as suas obrigações e os seus deveres neste nosso mundo-escola.

Jesus, o Cristo, já retornou para a sua própria humanidade. O nosso Antecristo irá se deslocar para a humanidade que nos segue na esteira evolutiva do Universo. Luiz de Mattos, o ajudador, o Espírito Santo, como chefe da nossa humanidade, será o encarregado de tornar a todos os seres humanos da nossa humanidade antecristãos. Daqui a quatro mil anos, quando todos os habitantes do planeta Terra forem realmente antecristãos, na acepção da palavra, deverão assim ter formado um Estado Mundial, com a produção da amizade espiritual promovendo a solidariedade fraternal em nossa humanidade. Então o Antecristo regressará ao seu seio, já na condição do Cristo, quando então toda a nossa humanidade poderá comprovar como se evolui realmente através da produção do amor espiritual. Nessa época, a nossa humanidade terá o Pai, o Filho e o Espírito Santo em seu seio, para que o mais rápido possível toda ela possa abandonar o âmbito da imperfeição e ingressar no âmbito da perfeição, evoluindo em seu meio, seguindo rigorosamente o ritmo evolutivo das humanidades mais adiantadas, e, ao mesmo tempo, proporcionando a que a humanidade que nos segue na esteira evolutiva do Universo também siga a esse mesmo ritmo, sem que seja quebrada a corrente do Cristo que une todas as humanidades umas às outras, a partir de um certo estágio evolutivo alcançado.

Isso tudo é lógico, isso tudo é real, isso tudo faz parte do processo evolutivo que engloba todos os seres humanos, em decorrência, todas as criaturas do Criador, ou de Deus. Por isso, podemos reafirmar que o Antecristo da humanidade que seguimos na esteira evolutiva do Universo, ao alcançar a condição do Cristo, encarnando como Jesus, teve ainda que passar mais dois mil anos integrado à nossa humanidade, para que assim pudesse orientar a Luiz de Mattos e a Pamam em relação ao Racionalismo Cristão, agindo intensamente no sentido de estabelecer de vez o instituto do Cristo em nossa humanidade. Somente após Luiz de Mattos fundar o Racionalismo Cristão, tendo retornado ao seu Mundo de Luz, após desencarnar, e ascendido ao Mundo de Luz situado na mesma região em que Jesus, o Cristo, habitou, quando para cá se deslocou, como sendo o Antecristo da sua humanidade, foi que então que como sendo o Cristo ele pôde retornar para a sua própria humanidade, deixando Luiz de Mattos na chefia da nossa.

Em sendo assim, todos os seres humanos que se consideram cristão não o são realmente, sendo, pois, anticristãos, como no próximo capítulo será devidamente explanado. Por isso, atualmente, todos os seres humanos ainda se encontram como sendo avulsos, mas agindo tais como se fossem cristãos, daí essa ignorância crassa que reina neste mundo, sem que ninguém tenha ainda um sentido real para a sua vida, e daí a prática dos mais diversos tipos de crimes que assolam o nosso meio, assim como os conflitos e os desentendimentos humanos.

No entanto, à medida que forem se tornando antecristãos, militando no Racionalismo Cristão, como assim se comprometeram em seus Mundos de Luz, quando mais racionais, quando mais lúcidos, quando mais clarividentes, todos poderão ter uma diretriz de vida, pois poderão ser conscientes dos deveres e das obrigações que deverão ser assumidos neste nosso mundo-escola, já que todos são espíritos, portanto, provenientes dos Mundos de Luz originários de cada um, em conformidade com os seus estágios evolutivos, e assim como tais devem agir, e não como revestidos da ilusória matéria como agora estão, de carne e osso, sendo o corpo carnal apenas um invólucro para podermos habitar neste planeta, e nele podermos evoluir com bem mais rapidez do que nos Mundos de Luz.

Essa Grande Era na qual a nossa humanidade está ingressando, denominada de A Era da Razão, em que todos deverão se tornar antecristãos, é apenas preparatória para que ela reúna as condições apropriadas para ser cristã. Não adianta colocar o carro diante dos bois, dizendo-se cristãos, somente porque Jesus, o Cristo, encarnou neste mundo-escola, pois que ele veio para estabelecer o instituto do Cristo em nosso meio, uma vez que ele é o Cristo da humanidade que seguimos na esteira evolutiva do Universo. Por isso, a nossa humanidade primeiramente tem que se tornar antecristã. Depois, com o decorrer do tempo, ao final de A Era da Razão que está por se iniciar, ela poderá se tornar realmente cristã, mas apenas no futuro, após quatro mil anos. E que ninguém se esqueça: alguém só poderá chegar ao Pai através do Cristo.

Caso todos os seres humanos reconhecessem o tremendo esforço empregado por Luiz de Mattos e por Pamam, assim como também por outros grandes espíritos de luz evoluidíssimos que aqui também encarnaram para alavancar ao nosso meio rumo ao progresso espiritual, deveriam ficar satisfeitos pelo fato de agora poderem processar as suas evoluções com mais rapidez, sem o risco de perder algumas encarnações, em virtude do imenso descompasso proporcionado pela ignorância que reinava e que ainda reina em nosso meio.

Então que ninguém se sinta constrangido pelo fato de se julgar cristão e não o ser, sendo, na realidade, apenas avulso, mas agindo como anticristão. Mas é melhor ser antecristão do que ser avulso e agir como anticristão. Portanto, é melhor ser antecristão do que ser anticristão. Nós não queremos agradecimentos, e muito menos reconhecimentos por tudo quanto fizemos pela nossa humanidade, uma vez que tudo aquilo que somos, tudo aquilo que conquistamos, tudo aquilo que incorporamos ao nosso acervo espiritual, que representa todo o nosso tesouro, deve-se, única e exclusivamente, à nossa humanidade, já que todos nós evoluímos interagindo uns com os outros, com verdadeiros irmãos que somos uns dos outros, desde o início, quando saltamos da Essência do Ser Total, até aos dias de hoje, devendo ainda se perpetuar por todo o sempre, até à eternidade, ou até que nos reintegremos a Deus.

Tenham confiança no Astral Superior, produzam sentimentos superiores e pensamentos positivos para os espíritos de luz que zelam com todo o amor pelo progresso de toda a nossa humanidade, tentem se esforçar para evoluir aos seus espíritos, assim como os grandes homens se esforçaram para evoluir aos deles. Não sejam pretensiosos e nem vaidosos, considerando-se rebaixados pelo fato de não serem considerados ainda nem antecristãos, julgando-se que já eram cristãos, pois os seres humanos ainda não possuem a mínima ideia da luz e da superioridade que se encontram encerradas nos espíritos superiores.

Em virtude disso, toda a nossa humanidade vai verificar por experiência própria o quanto vai ser difícil se tornar um autêntico antecristão. Assim, à medida que cada um for se tornando antecristão, militando no Racionalismo Cristão, irá constatar toda a grandeza que existe na espiritualidade, por conseguinte, quem são na realidade os espíritos de luz que integram a plêiade do Astral Superior.

Somente o atraso mental, muito atraso mental, mas um imenso atraso mental, pode justificar a tremenda ignorância de um ser humano seguir a um credo ou a uma seita que se dizem cristãos, e então abrir a boca para vociferar em plenos pulmões que também seja cristão. Como é que alguém pode se dizer cristão seguindo a classe sacerdotal, a mais criminosa, a mais perniciosa e a mais ignorante classe que existe na face na Terra, que semeia essa estúpida ignorância por todo o orbe terrestre? Como é que esse credo e as suas seitas arrancam dos bolsos desses incautos fortunas e fortunas em recursos monetários, prometendo tudo com base no sobrenaturalismo, desprezando por completo o esplendor da natureza? Como é que os seres humanos podem se considerar cristãos sem serem esclarecidos sobre a vida fora da matéria, portanto, espiritualizados?

Todos esses seres humanos são uns verdadeiros cretinos, pois que foram todos acretinados pela perigosa e malévola classe sacerdotal. Por isso, não queremos nem um desses cretinos em nossas hostes desfraldando as bandeiras da verdade, da sabedoria e da razão, para a glória e a honra da nossa humanidade. Assim, quem se dispuser a se tornar antecristão, um autêntico antecristão, deverá, antes de tudo, obrigatoriamente, que abandonar de vez aos credos e seitas ditos cristãos, mas que são anticristãos. Caso contrário, que fiquem onde estão, pois não precisamos de cretinos arrebanhados pela classe sacerdotal como sendo militantes do Racionalismo Cristão, uma vez que não somos sacerdotes e não precisamos da ajuda monetária de quem quer seja, sendo pobre ou sendo rico, pois que prover o Racionalismo Cristão dos recursos monetários é problema do Astral Superior e dos seus dirigentes terrenos.

Deveriam esses seres humanos acretinados pela classe sacerdotal atentar para o fato que o mesmo não se dá com a classe sacerdotal, cujo deus bíblico deveria lhe suprir dos recursos necessários para que ela pudesse pregar a ignorância no seio da nossa humanidade. Mas como esse deus bíblico não age assim, pelo simples fato dele ser um espírito tremendamente obsessor quedado no astral inferior, então essa classe sacerdotal medonha e peçonhenta se dana a explorar o povo, tanto ao rico como ao pobre, em que a classe política, em busca dos seus votos, concede-lhe o favor fiscal, não taxando as suas elevadas rendas, para piorar ainda mais a situação, que já é agravante.

Em sendo assim, o principal credo inventado pela classe sacerdotal que se diz cristão não o é, por hipótese alguma, e muito menos as suas seitas, pois todos são anticristãos. Em função disso, como é a nossa máxima obrigação, temos que apontar a todos os seus erros nesta explanação de A Filosofia da Administração, por conseguinte da explanação do Racionalismo Cristão, para que todos os seres humanos consigam abandonar de vez a esses credos e as suas seitas, assim como também aos demais credos e seitas que não se dizem cristãos, e possam então se tornar antecristãos, para que no futuro sejam realmente cristãos, após o advento dessa Grande Era que ora se inicia, para a remodelação de toda a nossa humanidade, e para que ela tome novos rumos.

Com o abandono por completo de todos esses credos e seitas, todos estarão ainda ajudando a classe sacerdotal, para que ela se esclareça realmente, para que ela se regenere, para que ela tome novos rumos, deixando de semear a ignorância entre os seus semelhantes, estando ciente da vida fora da matéria e se espiritualizando, com vistas a um novo tempo que ora é chegado para a nossa humanidade.

Além da espiritualização da nossa humanidade, esclarecendo-nos acerca da vida fora da matéria e estabelecendo o instituto do Cristo no seio da nossa humanidade, Jesus, o Cristo, também deixou praticamente estabelecida a formação de todas as nações que se encontram espalhadas sobre o planeta Terra, estando elas devidamente fixadas em seus respectivos territórios, como veremos no decorrer dos capítulos seguintes, proporcionando assim a que o Antecristo pudesse fixar os seus ideais no seio da nossa humanidade, com vistas à formação de um Estado Mundial, sendo esta a condição básica do curso antecristão para que todos possam se tornar realmente cristãos.

 

Continue lendo sobre o assunto:

Romae