01.02- O que é a administração

A Adm. de Empresas
11 de junho de 2020 Pamam

A Administração é a ação de administrar, caracterizando-se como sendo uma parcela do Saber humana que estuda as práticas administrativas, pelo que deve possuir em seu escopo uma doutrina que venha a servir de fonte para um sistema, pois que é através da sua sistematização que se estabelece um conjunto de práticas utilizadas para se administrar.

Geralmente os estudiosos utilizam o termo administração com o significado estrito de direção, de gerência, como sendo o ato de administrar ou gerenciar negócios, pessoas ou recursos, com o objetivo de alcançar metas definidas. Porém, isto somente faz realmente sentido se o termo for utilizado em relação direta com uma organização, pública ou privada, para que assim essa relação direta venha a caracterizar os esforços humanos organizados, realizados em comum, sempre com uma finalidade específica, em busca de se alcançar um objetivo. De qualquer maneira, em sentido lato, todo aquele que exerce uma função específica em uma organização, está a administrar as suas tarefas, como não poderia ser diferente.

Por isso, os estudiosos consideram mais adequado considerar a Administração de Empresas como sendo uma subárea da Administração, uma vez que ela trata mais especificamente das organizações privadas, com ou sem fins lucrativos, mas que a Administração também pode ser pública, ou mesmo de economia mista, em que esta assume o papel de uma organização privada.

A Administração, portanto, é uma parcela do Saber fundamentada em um conjunto de conhecimentos, experiências, leis e princípios, que identificam as tarefas a serem desempenhadas pelas mais diversas funções, que são elaboradas para disciplinar e prover de técnicas os fatores de produção, de comércio e de prestação de serviços, tendo em vista o alcance de determinados objetivos previamente determinados, como a adequação da prestação dos serviços públicos ou a maximização dos lucros.

Deve-se sempre partir do princípio de que a Administração pressupõe a existência de uma organização a ser gerida, que seja constituída por pessoas e recursos que se relacionam em um determinado ambiente, sendo todos eles orientados tecnicamente para o alcance dos objetivos comuns, pois que há sempre uma meta a ser alcançada.

Neste caso, cabe aqui repisar que em sentido lato, todas as pessoas são administradoras, pois que elas sempre administram todas as tarefas que lhes são inerentes, sejam essas tarefas de âmbito pessoal ou doméstico, e que em sentido estrito é realmente como os estudiosos utilizam o termo administração, com o significado de direção, de gerência, como sendo o ato de administrar ou gerenciar negócios, pessoas e recursos, com o objetivo de alcançar metas definidas, daí a razão pela qual ela é frequentemente considerada como sendo sinônimo de Administração de Empresas, mas há que considerar também a Administração Pública.

Temos então, em sentido estrito, que administrar é o processo de dirigir ações, no desempenho de tarefas, que utilizam recursos para atingir os objetivos. Embora seja importante em qualquer escala de aplicação de recursos, a principal razão para o estudo técnico da Administração, em sentido estrito, é o seu impacto sobre o desempenho das organizações públicas e privadas. Portanto, é a forma como são tecnicamente administradas que torna as organizações mais ou menos capazes de utilizar corretamente os seus recursos para atingir os objetivos previamente estabelecidos.

Como elo entre os recursos humanos, materiais e os objetivos de uma organização, cabe ao profissional da Administração combinar os meios na proporção adequada, sendo, para isso, necessário tomar decisões constantemente em um contexto que envolve tanto a organização em si como o meio ambiente em que ela atua, uma vez que todas as organizações deve dispor dos recursos humanos e materiais para tanto, sempre com vistas nos objetivos, pois mesmo que a capacidade de processamento de informações do ser humano seja limitada, ele dispõe de ferramentas para processar as informações que excedem a sua capacidade de processamento, como é o caso do processamento eletrônico de dados.

Administrar, pois, envolve a elaboração de um minucioso planejamento, a fixação de metas a serem alcançadas, projetos, relatórios, pareceres situacionais, etc.,  em que para tudo isso se torna absolutamente necessário o conhecimento e a experiência, que são exigidos para a aplicação das técnicas de Administração.

Sobre o administrador, o autor John W. Riegel afirma o seguinte:

O êxito do desenvolvimento de executivos em uma empresa é resultado, em grande parte, da atuação e da capacidade dos seus gerentes no papel de educadores. Cada superior assume este papel quando ele procura orientar e facilitar os esforços dos seus subordinados para se desenvolverem“.

Existe o Saber, por excelência. Mas para que se possa racionalizar o Saber, por excelência, os seres humanos o dividiram em parcelas do Saber, para que assim os estudos especializados pudessem ser desenvolvidos a contento, sendo por isso que alguns autores consideram a Administração como sendo uma área interdisciplinar do Saber, uma vez que ela se utiliza dos métodos e dos saberes de outras parcelas do Saber, tais como a Contabilidade, o Direito, a Economia, a Psicologia, a Sociologia, etc., com todos os seus fundamentos advindos da Veritologia, da Saperologia e da Ratiologia.

No entanto, discute-se se a Administração pode ser considerada uma disciplina científica, ou melhor, uma parcela do Saber. Mas sim, a Administração pode ser considerada como sendo uma parcela do Saber, sendo ela um dos ramos das parcelas do Saber humanas, uma vez que ela trata dos agrupamentos humanos trabalhando em uma organização, em que se pode observar uma peculiaridade, que é a contemplação holística, em que se busca uma perfeita sinergia entre esses agrupamentos humanos e os recursos materiais, que formam toda a estrutura da organização. Um dos princípios saperológicos da Administração vem afirmar o seguinte:

A verdadeira administração não visa lucro, visa o bem-estar social; o lucro é apenas uma mera consequência“.

A sigla POCCC, utilizada em Administração, representa as cinco funções do administrador definidas por Henri Fayol, que são as seguintes:

  1. Planejar: atividade que consiste em estabelecer metas, objetivos e resultados para o futuro, que envolve prover, decidir antecipadamente, elaborar alternativas e definir métodos de trabalho para que se alcancem os resultados esperados;
  2. Organizar: define como utilizar os recursos e estruturar a organização, elaborando o seu organograma, de forma que possa alcançar os seus objetivos;
  3. Controlar: acompanha as atividades de forma a verificar se os planos estão sendo executados adequadamente;
  4. Coordenar: estabelece as prioridades e a sequência das atividades;
  5. Comandar: dirige e lidera pessoas.

Há que se considerar ainda, que no plano espiritual existe um grande plano para a espiritualização da nossa humanidade, em que esse planejamento forma uma imensa organização, em que cada um dos espíritos tem a sua função própria e inerente a ser desempenhada nessa organização espiritual, com os espíritos mais adiantados, que possuem um maior tirocínio, organizando e controlando as atividades dos espíritos menos adiantados, coordenando as suas atividades e exercendo o comando dessas atividades. Então podemos considerar que a sigla POCCC é também exercida em plano astral, levando-se em consideração que tudo aquilo que implantamos neste mundo, é reflexo do plano astral, obviamente que quando é considerado sob o ponto de vista de ordem e progresso.

Como se pode claramente observar no cotidiano da vida, a Administração se aplica em tudo na vida, pois que é reflexo do plano de espiritualização da nossa humanidade, uma vez que ela sempre envolve métodos e processos para se alcançar a um determinado objetivo, mas a administração da vida pessoal ou doméstica tem a sua arte própria, que sendo um tanto menos complexa, recebeu no Japão um conjunto de técnicas que foram utilizadas pelas donas de casa japonesas para envolver a todos os membros da família na administração e na organização do lar, que foi denominado de Programa 5S, ou House keeping, que mais tarde foi aplicado nas empresas.

 

Continue lendo sobre o assunto:

Romae